Campanha termina no Dia Internacional dos Direitos Humanos, em 10 de dezembro

 

Foto: Gibran Mendes

25 de novembro é o Dia internacional pela Eliminação da Violência Contra as Mulheres, data em memória ao assassinato de três irmãs dominicanas, Pátria, Minerva e Maria Teresa, conhecidas como “Las Mariposas”.

O dia foi escolhido durante o I Encontro Feminista da América Latina e do Caribe, realizado em Bogotá, na Colômbia, em 1981, em homenagem as três irmãs ativistas políticas e como inspiração para a luta por mais justiça social e por um mundo sem violência contra a mulher.

No Brasil, a data também marca o início dos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra a Mulher, com um calendário que passa também pelo Laço Branco, em 6 de dezembro, Dia Nacional e de Mobilização Estadual dos Homens Pelo Fim da Violência Contra as Mulheres, e se estende até 10 de dezembro, Dia Internacional dos Direitos Humanos.

Na próxima segunda-feira, 2 de dezembro, o mandato da deputada estadual Luciana Rafagnin promove na Assembleia Legislativa do Paraná o seminário “Políticas Públicas para as Mulheres: Conquistas e Desafios”, no plenarinho.

“A violência contra Mulheres e meninas é um grave problema social e a cultura define os graus de aceitação dessa violência. Precisamos de punir e erradicar todo tipo de violência contra a mulher e todo dia deve ser dia de lutar contra a violência de gênero”, defende Vandira Martins Oliveira, diretora da Secretaria da Mulher da Federação dos Trabalhadores em Empresas de Crédito do Paraná (FETEC-CUT-PR).

“Neste ano de 2019, até o dia 22 de novembro, a Câmara Federal registrou 279 projetos de lei que tratam de violência contra a mulher, 564% a mais em relação aos 42 registrados em 2018. Isso é reflexo da luta contra a violência e os números alarmantes de crescimento dessa violência registrados de lá para cá. Não se cale, denuncie!”, diz.

Laço Branco – Em 1989, um homem entrou numa sala de aula, na Escola Politécnica de Montreal, no Canadá, portando uma arma. Falou para os homens da turma se retirarem e atirou contra as mulheres. O ato resultou em 14 mulheres assassinadas, pelo simples fato de serem mulheres. Além do feminicídio, outras 10 mulheres ficaram feridas.

O Dia da Mobilização Estadual dos Homens pelo Fim da Violência contra as Mulheres se tornou a Lei Estadual 19.719 em 2018, por iniciativa do deputado Professor Lemos (PT). Neste ano, a Assembleia Legislativa do Paraná promove audiência pública na terça-feira, 03 de dezembro, para criação da Frente Parlamentar dos Homens pelo Fim da Violência Contra as Mulheres.

Procure seu sindicato para acompanhar as atividades.

Por Paula Zarth Padilha

Escreva um comentário

Rua XV de novembro, 270, sala 510, Centro, Curitiba-PR, CEP 80020-310, Fone (41)-33229885, Fax (41)-33245636, fetec@fetecpr.org.br