Banco comercializa serviço financeiro de venda de máquina de cartão também oferecido em agências sem contratação formal de trabalhador

O banco Safra entrou na onda das fintechs, a oferta de serviços financeiros com aporte tecnológico, se utilizando das diversas facilidades do segmento, como isenção de taxa de cobrança de maquininha de cartão ou juro zero para comércios, mas também de outra preocupante: redução de custos com pessoal.

Para ofertar a modalidade SafraPay, o banco anuncia oferta de parceria com micro-empreendedores individuais (MEI), sem vínculo empregatício ou direitos trabalhistas, trocando remuneração por indicações de potenciais compradores do serviço, devidamente efetivados, atrelado ao volume de venda/uso do cartão.

Funciona assim: um MEI se cadastra no site do Safra e via aplicativo indica possíveis comerciantes interessados em adquirir a maquininha de cartão. A remuneração do MEI se efetivará se o comerciante indicado efetivar a compra do serviço e quando houver venda de produtos com o uso da máquina vendida.

Esse serviço, de comercialização de máquina de cartão de crédito, é também oferecido por trabalhadores bancários para clientes pessoa jurídica e são contabilizados em metas. A Federação dos Trabalhadores em Empresas de Crédito do Paraná realizou extensa pesquisa sobre a iminência das chamadas fintechs abalarem os oligopólios dos bancos no sistema financeiro do país, justificada pela redução de custos atreladas ao emprego bancário. Acesse aqui para saber mais.

Escreva um comentário

Rua XV de novembro, 270, sala 510, Centro, Curitiba-PR, CEP 80020-310, Fone (41)-33229885, Fax (41)-33245636, fetec@fetecpr.org.br