Rua XV de novembro, 270, sala 510, Centro, Curitiba-PR, CEP 80020-310, Fone (41)-33229885, Fax (41)-33245636, fetec@fetecpr.org.br
 
 
publicado em 11 de Fevereiro de 2019 às 13:25:
Bancárias reorganizam ações para enfrentamento aos retrocessos

“Direita quer igualar as obrigações e aprofundar as desigualdades”, diz Elaine Cutis.

O Coletivo de Mulheres da Contraf-CUT se reuniu na última quinta-feira (7) para debater as dificuldades da atual conjuntura e definir estratégias para o enfrentamento aos retrocessos das reformas e trabalhar questões do mês da mulher (violência e retirada de direitos). A reunião foi realizada por videoconferência, o que possibilitou participação de representantes de todo o país. As mulheres bancárias da Federação dos Trabalhadores em Empresas de Crédito do Paraná (FETEC-CUT-PR) participaram da reunião virtual.

Para a secretária da Mulher da Contraf-CUT, Elaine Cutis, a sociedade vive um momento trágico, no qual as propostas conservadoras, do atual governo, dificultam os debates de igualdade de oportunidade. “É fundamental que as mulheres se unam cada vez mais no enfrentamento aos retrocessos e, principalmente, contra a violência. Mesmo com toda a nossa luta, os dados da violência estão cada vez mais alarmantes e não podemos deixar que debates conservadores ganhem espaço na sociedade e se tornem aceitáveis no nosso país”, afirmou.

Outro alerta é para a proposta de reforma da Previdência que aguarda aprovação do congresso. “É um falso discurso que está sendo propagado pela direita que quer igualar as obrigações e aprofundar as desigualdades, sendo que as mulheres são as que mais sofrem com o conservadorismo, pois elas enfrentam jornada dupla, recebem menores salários, cuidam dos filhos, entre outros” disse.

Elaine ainda completou. “É importante que as mulheres fiquem atentas e fortaleçam a luta contra os retrocessos e retirada de direitos”, finalizou.

A conclusão do grupo é que todos os estados e federações estão trabalhando o mês de março de forma bem unida e articulada com as mulheres da Central Única dos Trabalhadores (CUT).

Após a reunião do Coletivo de Mulheres, aconteceu o encontro da CGROS (Coletivo de Gênero, Raça, Orientação Sexual, PCD), espaço que se debate a diversidade. O debate definiu os encaminhamentos para a construção do 3º Censo da Diversidade, que foi uma importante conquista da Campanha Nacional, e a organização ações em todas as temáticas da diversidade.

 

Fonte: Contraf-CUT

deixe seu comentário

 
últimas notícias
23 de Maio de 2019
  O que é uma Startup?
22 de Maio de 2019
  Em meio à crise, quatro grandes bancos lucram R$ 20,85 bilhões
17 de Maio de 2019
  Financeiras: Patrões querem negociar trabalho aos finais de semana
14 de Maio de 2019
  Governo Bolsonaro acaba com normas de saúde e segurança que protegem trabalhador
14 de Maio de 2019
  Governo prepara armadilha para endividar idoso que tem casa própria
  © Copyright 2011. Todos os direitos reservados.
WebmaniaBR® - Ideias em códigos