O Itaú, em meio à pandemia do novo coronavírus, realizou inúmeras demissões em razão da mudança de modelo no seu setor operacional. Entre os demitidos está um bancário que sofreu um assalto muito violento e que sofre até hoje com as sequelas psicológicas.

O Sindicato de Londrina, por meio das Secretarias de saúde e de Assuntos Jurídicos, fez o atendimento a este bancário e contatou o banco para que a demissão fosse revertida administrativamente. Infelizmente, o banco não atendeu às solicitações do Sindicato e por esta razão a assessoria jurídica, prestada pelo escritório Baracat De Grande e Advogados, ingressou com ação requerendo a reintegração do bancário.

Segundo o advogado Bruno Merotti, além de o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) ter reconhecido as doenças do bancário relacionadas ao trabalho, o perito nomeado na ação também atestou referida relação, dando fundamentos para a Justiça deferir a tutela de urgência e reintegrar o bancário.

Fonte: Vida Bancária

Escreva um comentário

Rua XV de novembro, 270, sala 510, Centro, Curitiba-PR, CEP 80020-310, Fone (41)-33229885, Fax (41)-33245636, fetec@fetecpr.org.br