Rua XV de novembro, 270, sala 510, Centro, Curitiba-PR, CEP 80020-310, Fone (41)-33229885, Fax (41)-33245636, fetec@fetecpr.org.br
 
 
publicado em 23 de novembro de 2018 às 11:38:
Bancos brasileiros são reprovados em estudo sobre temas de interesse social

LUCRO E NADA MAIS

“Guia dos Bancos Responsáveis” mostra que o sistema financeiro brasileiro lucra sem dar contrapartidas. De zero a 10, nenhuma instituição ficou com nota acima de cinco
SINDICATO DOS BANCÁRIOS DE PELOTAS

bancos responsabilidade

Bancos possuem altas taxas de lucro e sempre crescentes, mesmo durante crises econômicas

São Paulo – O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) lançou hoje (22) a edição 2018 do Guia dos Bancos Responsáveis (GBR), que avalia boas práticas e políticas adotadas pelos bancos em 18 temas de interesse social. O resultado está longe do satisfatório: os nove maiores bancos do Brasil ficaram com notas abaixo de cinco em uma pontuação de zero a 10, colocando o país em sétimo lugar em um ranking que verifica condições em 9 países.

Mais de 140 milhões de brasileiros utilizam o sistema bancário para movimentar suas finanças. Essas instituições possuem altas taxas de lucro e sempre crescentes, mesmo durante crises econômicas. Os benefícios que os acionistas majoritários e executivos dos bancos gozam devem ter contrapartidas e o esperado era que tais empresas tivessem responsabilidade social. Contudo, parece que o setor não está muito preocupado com o tema.

Dos temas abordados, destaque negativo para mudanças climáticas, setor imobiliário e, especialmente, armas. “O item avalia o financiamento ou investimento em empresas envolvidas na produção, manutenção e distribuição de minas terrestres, munições de fragmentação e armas biológicas, químicas ou nucleares. Com exceção do Santanter e do Safra, todos os bancos avaliados ficaram com nota zero”, avalia em nota o Idec. Isso porque as instituições que zeraram não apresentaram nenhuma política sobre o tema. Além dos dois bancos, foram analisadas as políticas do Banco do Brasil, Bradesco, BNDES, BTG Pactual, Caixa, Itaú e Votorantim.nota bancos

Para a economista do Idec Ione Amorim, responsável pelo estudo, “o GBR é um instrumento importante para o consumidor saber, por exemplo, se o banco com o qual trabalha é transparente, respeita os consumidores e promove ideias que estejam de acordo com ele. Queremos dar para cada pessoa o poder da informação e, assim, aumentar a sua capacidade de fazer escolhas”. No site do estudo, existe um campo para o consumidor encaminhar suas reclamações sobre as instituições.

Os destaques positivos ficam por conta de três temas: direitos trabalhistas, meio ambiente e inclusão financeira. “As notas são satisfatórias, mas isso se deve principalmente à legislação brasileira que, nestes assuntos, força que as instituições adotem políticas mais rígidas”, comenta o Instituto. Pela primeira vez, o estudo incluiu o tema igualdade de gênero. “A maior nota foi 2,4. Isso mostra que as políticas dessas instituições estão muito aquém do esperado”, completa.

O detalhamento do estudo pode ser conferido no site do GBR 2018. Fonte: Rede Brasil Atual

deixe seu comentário

 
últimas notícias
5 de dezembro de 2018
  Laço Branco: Dia de Mobilização do Homem pelo Fim da Violência Contra a Mulher
5 de dezembro de 2018
  FETEC/PR promove seminário sobre igualdade de oportunidades em Londrina
30 de novembro de 2018
  Coletivo de Saúde inicia planejamento nacional para 2019
30 de novembro de 2018
  Ratinho quer privatizar uma das melhores empresas de banda larga do Brasil
30 de novembro de 2018
  Seminário analisou impactos da Reforma Trabalhista
  © Copyright 2011. Todos os direitos reservados.
WebmaniaBR® - Ideias em códigos