Tem início nesta terça-feira (6) o pagamento da primeira das quatro parcelas do novo auxílio emergencial para trabalhadores e trabalhadoras desempregados e informais.

Este ano, apesar do agravamento da pandemia do novo coronavírus e de centenas de cidades terem adotado um isolamento mais rigoroso para conter a transmissão do vírus, o governo de Jair Bolsonaro (ex-PSL) pagará um valor bem menor do que o que foi aprovado pelo Congresso Nacional em 2020. Além disso, um número bem menor de pessoas terá direito ao benefício.

A previsão é de que 45,6 milhões de pessoas recebam o benefício este ano. No ano passado, quase 68 milhões receberam o auxílio.

O valor do benefício caiu de R$ 600, pagos em 2020, para, em média, R$ 250 e apenas uma pessoa por família poderá receber o auxílio – no ano passado, até duas pessoas da mesma casa podiam receber. As mulheres chefes de família, que no ano passado receberam R$ 1.200, receberão apenas R$ 375 este ano. E os desempregados e informais que viverem sozinhos receberão menos ainda, apenas R$ 150.

Os depósitos serão feitos na conta de forma escalonada até agosto nas contas digitais do Caixa Tem. As liberações de saques terminam em setembro. Mas, nos primeiros dias, as pessoas não poderão sacar, poderão movimentar o dinheiro para pagar contas por meio do aplicativo ou para fazer compras pela internet ou em débito.

Depois de algumas semanas, poderão sacar ou transferir para outra conta o que e se sobrar algum dinheiro no Caixa Tem.

Os beneficiários do Bolsa Família começarão a receber a partir de 16 de abril, conforme o calendário de pagamentos do programa que será de acordo com o mês de nascimento.

Fonte: CUT

Escreva um comentário

Rua XV de novembro, 270, sala 510, Centro, Curitiba-PR, CEP 80020-310, Fone (41)-33229885, Fax (41)-33245636, fetec@fetecpr.org.br