Rua XV de novembro, 270, sala 510, Centro, Curitiba-PR, CEP 80020-310, Fone (41)-33229885, Fax (41)-33245636, fetec@fetecpr.org.br
 
 
publicado em 17 de outubro de 2017 às 13:38:
Conselho de Segurança Alimentar pede a Doria explicações sobre ração humana

Consea solicitou à prefeitura de São Paulo documentos oficiais e técnicos sobre o projeto do prefeito de São Paulo, lançado em 8 de outubro, que pretende processar sobras da indústria
Fonte: Redação RBA publicado 17/10/2017 07h51
DIVULGAÇÃO

biscoito-a-base-de-farinata.jpg

Farinata de Doria: Consea defende dignidade e respeito aos valores humanos e culturais

São Paulo – O Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea) solicitou à prefeitura de São Paulo documentos oficiais e técnicos sobre o projeto do prefeito de São Paulo, João Doria, lançado em 8 de outubro, que pretende destinar sobras de alimentos da indústria para processar um alimento granulado nutritivo que será distribuído para a população de baixa renda. O prefeito pretende que os doadores recebam benefícios econômicos e isenção de impostos para a produção da que ficou conhecida como “ração humana“.

“Pelas informações disponíveis, o Poder Público Municipal pretende distribuir a grupos sociais em situação de vulnerabilidade um produto alimentar processado a partir de alimentos em vias de perda de validade de consumo e/ou fora de padrões de comercialização, resultando em um granulado com composição ainda não divulgada”, diz o Consea em nota.

A entidade diz que a Lei Orgânica de Segurança Alimentar e Nutricional (Lei nº 11.346, de 15 de setembro de 2006), regida pelo princípio do Direito Humano à Alimentação Adequada, explicita que todos devem estar livres da fome por meio de uma alimentação adequada. “A dignidade e respeito aos valores humanos e culturais são condições inegociáveis em qualquer ação desta natureza”, afirma.

“Somando-se a isso o Guia Alimentar, publicação oficial do Ministério da Saúde com as diretrizes sobre alimentação saudável, enfatiza que a dimensão cultural e social da alimentação é fundamental para o exercício e expressão da cidadania de todas e todos e recomenda que os alimentos in natura ou minimamente processados sejam a base da alimentação de brasileiros e brasileiras”, afirma ainda o conselho.

O Consea defende as linhas e diretrizes do Guia Alimentar, bem como o conceito de “comida de verdade”, construído com ampla participação social e consolidado na 5ª Conferência Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, encontro que teve a participação de 2 mil pessoas em Brasília, em novembro de 2015.

Na 5ª Conferência, os delegados e as delegadas participantes aprovaram um “Manifesto à Sociedade Brasileira” sobre aquilo que avaliam como “Comida de Verdade”. Segundo o documento, “a comida de verdade é saudável, garante o direito à alimentação de qualidade, promove hábitos alimentares saudáveis e não está sujeita a interesses de mercado (clique aqui para o Manifesto)”.

deixe seu comentário

 
últimas notícias
6 de junho de 2019
  Manifesto em Curitiba reúne pessoas em situação de rua, esse lugar de ninguém
5 de junho de 2019
  Senado aprova MP que dificulta o acesso do trabalhador ao benefício do INSS
3 de junho de 2019
  Novas tecnologias: fintechs e o emprego bancário
31 de Maio de 2019
  Band TV recusa notificação questionando cobertura sobre Reforma da Previdência
31 de Maio de 2019
  Estudantes protagonizam defesa da educação ocupando as ruas de Curitiba
  © Copyright 2011. Todos os direitos reservados.
WebmaniaBR® - Ideias em códigos