A diretoria executiva da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) decidiu intensificar as ações da Campanha Sindicato Solidário, para dar apoio à parcela mais desassistida da população, com o agravamento da crise econômica e da pandemia. Serão retomados os contatos com sindicatos e federações e incentivadas novas iniciativas.

“A cada dia, aumenta o exército de miseráveis, vivendo literalmente nas ruas das cidades. São abandonados pelo governo Bolsonaro que não dá um auxílio emergencial decente, não socorre as pequenas e médias empresas para defender os empregos e promove um verdadeiro caos no combate à pandemia. Cabe às organizações e entidades da classe trabalhadora desempenhar esse papel, pelo menos oferecendo um mínimo para a sobrevivências dessas pessoas”, afirmou explicou Almir Aguiar, membro da Executiva da Contraf-CUT e secretário de Combate ao Racismo da entidade.

Desemprego

De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o desemprego no país é de 14,2% e atinge 14,3 milhões de pessoas. Um dos efeitos do aumento da miséria no país é o crescimento da população de pessoas em situação de rua. De acordo com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), o número de pessoas em situação de rua no Brasil cresceu 140% entre 2012 e março de 2020, chegando a quase 222 mil pessoas.

“Com pessoas passando fome, morando nas ruas, com o desemprego crescendo a cada mês, o movimento sindical precisa mostrar que a solidariedade é fundamental nesse momento e que falta atitude do governo Bolsonaro. Nossa luta em defesa da classe trabalhadora passa também pelo olhar humano e solidário tão necessário nessa hora”, ressaltou Rosalina Amorim, secretária de Políticas Sociais da Contraf-CUT.

Federações e sindicatos

A Campanha Sindicato Solidário surgiu no ano passado, ainda no começo da pandemia do coronavírus. Inúmeras ações de solidariedade movimentaram a rede de sindicatos e federações ligados à Contraf-CUT. “Vamos intensificar o contato com as federações e com os sindicatos. Aqui, em Minas, estamos com uma campanha de solidariedade em atividade. Queremos juntar os esforços que surgem em todo o País para termos um resultado muito maior”, declarou Magaly Fagundes, a presidenta da Federação dos Trabalhadores do Ramo Financeiro de Minas Gerais (Fetrafi-MG) e também integrante da executiva da Contraf-CUT. Magaly e outros dirigentes da Contraf-CUT vão entrar em contato com sindicatos e federações para implementar a segunda fase da campanha.

Para a segunda fase da mobilização, a Contraf-CUT disponibilizou às federações e sindicatos as artes de camisetas e máscaras com a logomarca da campanha Sindicato Solidário. Os materiais podem servir para a venda e arrecadação de fundos para o auxílio às populações carentes. Iniciativas de apoio acontecem em todo o país. Um exemplo foi a campanha Sindicato Solidário desenvolvida pelo SEEB de Jundiaí, no Interior de São Paulo, que está arrecadando gêneros alimentícios para entidades da região (veja imagem acima). Para ter mais informações campanha Sindicato Solidário e conhecer a lista de entidades, clique aqui.

Fonte: Contraf-CUT

Escreva um comentário

Rua XV de novembro, 270, sala 510, Centro, Curitiba-PR, CEP 80020-310, Fone (41)-33229885, Fax (41)-33245636, fetec@fetecpr.org.br