A empresa que assumiu a central de Comercialização (Teleperformance) não tem conseguido atender o grande número de ligações de clientes que recebe e vários funcionários que haviam sido transferidos da Comercialização para outras centrais têm sido chamados emergencialmente de suas funções para cumprir as tarefas.

Recentemente, o mesmo tipo de operação foi necessário para suprir a demanda da Central Finasa, também a cargo da Teleperformance, pois os clientes não conseguiam ser atendidos.

O prazo de transferência total dos serviços do Internet Banking, previsto para os próximos dias, já foi transferido, pois a prestadora já deu sinais de que não dará conta da demanda.

“Estes fatos mostram novamente que a terceirização é um equívoco, que além dos muitos problemas sociais que provoca (remuneração rebaixada dos trabalhadores das prestadoras, perda de direitos, extrapolação da jornada etc.), também causa transtornos aos clientes e, conseqüentemente, ao próprio Bradesco”, avalia o diretor do Sindicato e funcionário do Telebanco Rubens Blanes.

O Sindicato mantém uma campanha permanente pela geração de emprego no setor financeiro, face aos lucros crescentes obtidos a cada ano. Terceirizar os serviços bancários é precarizar as condições de trabalho e visa apenas o lucro a qualquer custo.

Fonte: www.spbancarios.com.br

Escreva um comentário

Rua XV de novembro, 270, sala 510, Centro, Curitiba-PR, CEP 80020-310, Fone (41)-33229885, Fax (41)-33245636, fetec@fetecpr.org.br