(Cuiabá) Nesta terça-feira, 22, é dia de Jornada Internacional de Luta no ABN Real. Haverá protestos nas principais agências das capitais do Brasil e nas cidades de todos os países da América Latina. “O melhor investimento são as pessoas”. Esse é o lema da Jornada.

Em Cuiabá, haverá paralisação de uma hora (das 11h às 12h) na maior agência do ABN Amro em Mato Grosso na Praça Alencastro, no centro de Cuiabá.

Os eixos reivindicatórios internacionais são: mais empregos, melhores condições de saúde e melhores condições de trabalho. Afinal, ao contrário do que dizem os banqueiros, o investimento em tecnologia serviu principalmente para sofisticar a exploração sobre os trabalhadores e gerar milhares de demissões pelo mundo inteiro.

Nesse dia de luta os bancários estarão panfletando, fazendo falas na frente das agências e distribuindo jornais da Rede Global Bancária, informativos locais e paralisando as atividades do Real.

A data de Jornada de Luta do ABN Real foi definida em reunião dos representantes dos bancários do Brasil e de vários outros países da América Latina em junho, em São Paulo.

O representante da Federação dos Trabalhadores em Empresas de Crédito do Centro Norte (Fetec/CN) na Comissão Organizadora dos Empregados do ABN Amro/Real-Brasil, Arilson Silva, informou que ao eixo reivindicatório internacional serão acrescentadas a problemática dos baixos salários e a necessidade de que os funcionários sejam isentados das taxas bancárias.

“Estamos orientando os sindicatos dos bancários a realizarem em parceria com os funcionários do Real, manifestações em frente às suas principais agências com panfletagens, falas, paralisações e distribuição de jornais. Também é fundamental que os sindicatos orientem os trabalhadores do banco Real a ampliarem o vínculo com os clientes, expondo a importância de contratar mais funcionários para que a população seja melhor atendida”, disse Arilson, que também é da direção do Sindicato dos Bancários de Mato Grosso.

O dirigente sindical lembrou ainda que o banco Real está com uma campanha nacional de abertura de 1 milhão de contas e, no entanto, a direção da empresa não fala em quantas contratações serão feitas.

“O serviço está piorando e vai piorar ainda mais, caso a direção nacional do banco Real não contrate mais bancários. E aqui em Cuiabá a prefeitura passou as contas dos 12 mil funcionários para o Real, só que a empresa contratou menos de 50% do que seria necessário. As filas têm sido enormes e as reclamações vêem aumentando”, falou.

Além disso, o dirigente sindical alertou para a questão das filas. Em Cuiabá foi regulamentada a lei que determina que os clientes só podem ficar entre 15 e 25 minutos nas filas dos bancos, contudo até agora as empresas pouco investiram em contratação.

Fonte: Neila Gonçalves – Assessoria de Imprensa – SEEB/MT

Escreva um comentário

Rua XV de novembro, 270, sala 510, Centro, Curitiba-PR, CEP 80020-310, Fone (41)-33229885, Fax (41)-33245636, fetec@fetecpr.org.br