O ex-presidente Lula decidiu ir à Justiça contra as revistas Época (da Rede Globo) e Veja (da Editora Abril) por calúnia e difamação. A informação foi dada no dia 2, pelo Instituto Lula, que publicou nota oficial justificando a atitude.

Pelo teor da nota, Lula acusa a Veja de o associar mentirosamente às investigações da Operação Lava Jato, que apura denúncias de corrupção na Petrobras, e afirma que a Época igualmente mentiu ao acusar o ex-presidente de tráfico de influência em encontros com chefes de Estado de outros países.

Leia a íntegra da nota:

Ao longo deste ano, Lula tem sido alvo de uma campanha de difamação que tem como objetivo manchar sua biografia e distorcer a percepção de sua gestão à frente da Presidência da República, que teve ampla avaliação positiva. Respeitando a liberdade de imprensa, o ex-presidente exerce seu direito de ir à Justiça questionar informações equivocadas veiculadas pela imprensa.

Os advogados do ex-presidente Lula apresentaram ações de interpelação judicial contra os jornalistas Filipe Coutinho, da revista Época, Rodrigo Rangel e Hugo César Marques, editor e repórter da revista Veja, para que eles esclareçam textos que relacionam, de forma mentirosa, Lula às investigações da Operação Lava Jato.

E também pela reportagem “Nosso Homem em Havana”, de Thiago Bronzatto, publicada na revista Época em agosto, que acusa o ex-presidente de tráfico de influência em sues encontros com presidentes de outros países. Após o fim do seu mandato, Lula se encontrou com mais de 45 chefes de estado (entre presidentes e primeiros-ministros).

A lista desses encontros está disponível no relatório do Instituto Lula

O texto de Época afirma que “sempre” teria havido tráfico de influência em tais encontros, o que jamais aconteceu.

Fonte: Rede Brasil Atual

Escreva um comentário

Rua XV de novembro, 270, sala 510, Centro, Curitiba-PR, CEP 80020-310, Fone (41)-33229885, Fax (41)-33245636, fetec@fetecpr.org.br