A Central Única dos Trabalhadores do Paraná – CUT/PR, suas Regionais, suas Federações e Sindicatos abaixo assinadas manifestam sua posição contrária à proposta de Reforma da Previdência apresentada pelo Governo Federal com a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 06/2019, sinalizando os seguintes pontos como fatores de fragilização das relações sociais, do trabalho e familiares:

 

A Constituição Federal de 1988 estabeleceu os direitos fundamentais da população brasileira, entre os quais o direito previdenciário. A proposta do governo Bolsonaro retira o caráter constitucional da Previdência Social no Brasil, ou seja, após este projeto ser aprovado, o Congresso Nacional poderá alterar qualquer ponto por meio de lei ordinária ou complementar. Um direito que atinge toda a população não pode ser retirado à revelia do debate, sem que haja uma grande consulta nacional.

A farsa do déficit

A Previdência Social é um dos tripés da Seguridade Social, juntamente com a Saúde e Assistência Social. Ao mesmo tempo em que os constituintes criaram esse importante tripé, estabeleceram também as fontes de receitas – as contribuições sociais – que são pagas por todos os setores, ou seja, empresas contribuem sobre o lucro (CSLL) e pagam a parte patronal da contribuição sobre a folha de salários (INSS), trabalhadores contribuem sobre seus salários (INSS) e toda a sociedade contribui por meio da contribuição embutida em tudo o que adquire (COFINS). Além dessas, há contribuições sobre importação de bens e serviços, receitas provenientes de concursos e prognósticos, PIS, PASEP, entre outras.  As contribuições de quem está no mercado do trabalho pagam as aposentadorias e pensões.

O falacioso déficit apresentado pelo governo é encontrado quando se compara apenas a arrecadação da contribuição ao INSS paga por empregados e empregadores (deixando de lado todas as demais contribuições que compõem o orçamento da Seguridade Social) com a totalidade dos gastos com a Previdência, fazendo-se um desmembramento que não tem amparo na Constituição e sequer possui lógica defensável, pois são os trabalhadores os maiores contribuintes da COFINS. Essa conta distorcida, que compara somente a contribuição ao INSS com os gastos da Previdência Social, produz a farsa do “déficit” que não existe.

Por outro lado, o relatório final da CPI da Previdência, concluída em 2017, demonstrou que “empresas privadas devem R$ 450 bilhões à previdência e, para piorar a situação, conforme a Procuradoria da Fazenda Nacional, somente R$ 175 bilhões correspondem a débitos recuperáveis. Esse débito decorre do não repasse das contribuições dos empregadores, mas também da prática empresarial de reter a parcela contributiva dos trabalhadores, o que configura um duplo malogro; pois, além de não repassar o dinheiro à previdência esses empresários embolsam recursos que não lhes pertencem”.

Fim da aposentadoria por tempo de contribuição

Na proposta de regra transitória o governo acaba com a possibilidade de aposentadoria por tempo de contribuição e aumenta o tempo mínimo de contribuição de 15 para 20 anos para a aposentadoria por idade, impondo idade mínima de 62 anos para mulheres e 65 anos para homens.

Atualmente, a Aposentadoria por Tempo de Contribuição não faz a exigência da idade, podendo o contribuinte se aposentar com 35 anos de contribuição se homem, ou 30 anos se mulher. Quando alcança este critério, o trabalhador ou trabalhadora pode optar pelo recebimento imediato da aposentadoria, mediante incidência do fator previdenciário (benefício reduzido) ou continuar contribuindo para alcançar o benefício máximo com a aplicação da fórmula 85/95 (lei 13.183/2015) aprovada no governo Dilma, que é a soma da idade com o tempo de contribuição.

Mulheres serão as mais prejudicadas

A PEC 06/2019 penaliza os mais pobres, que começam a trabalhar mais cedo, muitas vezes na infância. Também desconsidera que as mulheres têm dupla jornada, recebem menos que os homens e são as principais responsáveis pela educação dos filhos e cuidados com a família. Sempre é importante lembrar que as mulheres recebem salários menores do que os homens recebem na mesma função e exercendo trabalhos iguais.

Nessa nova fórmula, jovens, mulheres e pessoas mais pobres não terão qualquer melhoria do benefício mesmo que ultrapassem os 40 anos de contribuição. Se a mulher, por exemplo, começar a trabalhar aos 18 anos e se aposentar aos 62 anos de idade, contribuirá por 44 anos, portanto, 10% a mais de tempo de contribuição para atingir a idade mínima, sem que tenha o acréscimo de 1(um) centavo na sua aposentadoria.

Regra injusta confisca 40% das contribuições

A nova regra de cálculo da aposentadoria vai considerar 60% da média de todas as contribuições feitas pelos trabalhadores ao INSS durante 20 anos. Se contribuir mais de 20 anos, o percentual subirá 2% a cada ano de contribuição. Isso significa que o cálculo do valor da aposentadoria será rebaixado e, mesmo que o trabalhador consiga acessar o valor integral por idade e tempo de contribuição, receberá menos por conta do novo critério de cálculo sobre as contribuições.

Média nova traz perda aos trabalhadores

Hoje são considerados os 80% melhores salários de todo o período de contribuição para calcular as aposentadorias e as pensões. Assim, aqueles períodos de troca de emprego com salários menores são descartados para fins de cálculo de valor do benefício. Agora, o governo quer colocar na conta da média todo o período contributivo, ou seja, até aqueles meses das vacas magras entrarão no cálculo. Essa mudança reduz o valor mensal da aposentadoria.

Militares fora da PEC

É sabido que a previdência dos militares é uma das mais deficitárias do país, entretanto esse setor foi poupado na Proposta de Emenda Constitucional. Este fato nos leva a crer que há setores privilegiados em detrimento da grande maioria da população.

Redução do Benefício aos idosos

Pessoas pobres e idosas perderão parte de seus ganhos. Os idosos carentes, que antes recebiam um salário mínimo a partir dos 65 anos, terão os benefícios reduzidos para R$400,00 que começam a ser pagos a partir dos 60 anos, e só conseguirão ganhar um salário mínimo aos 70 anos. O chamado Benefício de Prestação Continuada (BPC) é destinado a idosos cuja renda familiar seja inferior a ¼ do salário mínimo, situação de extrema pobreza e miserabilidade.

Pensão por morte sofrerá mudanças

Viúvos e órfãos que hoje recebem 100% da aposentadoria da pessoa que morreu, como pensão por morte, receberão apenas 50% do valor do benefício, mais a cota familiar de 10% para cada filho até atingir os 100%, e esses percentuais fragmentados entre os dependentes não são redirecionados para viúvas/os, por exemplo, com a perda do direito dos filhos/as.

Outra mudança é sobre a possibilidade de acumular aposentadoria com pensão por morte. Pela nova regra, o/a viúva/o aposentado/a deverá optar pela integralidade do benefício de maior valor e receberá somente percentuais do segundo benefício, variando entre 20% e 80%. Isso vai causar perdas no orçamento familiar das pessoas já idosas, muitas vezes, doentes que dependem de cuidados especiais, com responsabilidades familiares.

Mudanças nas regras afetarão Trabalhadores Rurais

A proposta do governo prevê a obrigatoriedade de idade mínima de 60 anos tanto para os homens quanto para as mulheres, com contribuição mínima de 20 anos para os trabalhadores rurais. Atualmente, para receber o benefício, o trabalhador rural tem que comprovar a idade exigida (60 para homens e 55 para mulheres) e contribuir com percentual de 2,1% sobre a comercialização da produção.

Atinge as Pessoas com Deficiência

Pela proposta de Reforma da Previdência, as pessoas com deficiência terão que obedecer a uma idade mínima no máximo dez anos inferior aos 65 exigidos na regra geral, após terem contribuído durante pelo menos 20 anos.

Trabalhadores informais

Se o Congresso Nacional aprovar a Proposta de Emenda Constitucional (PEC 06/2019) da reforma da Previdência do governo de Jair Bolsonaro (PSL/RJ), milhões de trabalhadores e trabalhadoras não vão conseguir se aposentar. A situação já é dramática para 34,3 milhões de trabalhadores que estão no mercado de trabalho, mas não têm carteira assinada, são informais ou autônomos e não estão contribuindo com o INSS porque não têm renda, segundo a pesquisa do PNDA Continua do IBGE, de 2018.

A proposta de reforma previdenciária chega a ser desumana para a classe trabalhadora, principalmente porque já houve a reforma trabalhista, que flexibilizou e precarizou direitos, aumentando ainda mais a informalidade.

Sistema de capitalização 

Na verdade, o projeto tem como objetivo final instituir o Sistema de Capitalização, que será individual e com gestão privada, extinguindo todas as regras paramétricas do regime geral.

A PEC entregue para a aprovação do Congresso Nacional cria um sistema de capitalização, de ‘caráter obrigatório’. O sistema de capitalização será administrado por bancos privados e públicos, cuja finalidade é o lucro, sem preocupação com questões sociais. Este modelo que o governo quer implantar no Brasil foi adotado no Chile em 1981 pelo governo do ditador Pinochet. Lá os recursos de capitalização são gerenciados por seis instituições, sendo três norte americanas (concentrando 72,2%), uma colombiana (19,3%), uma italiana (3,4%) e apenas uma do Chile, que administra 5,1% dos recursos do fundo. O resultado hoje é que os homens recebem em média apenas 33% do que recebiam ao se aposentar, e as mulheres apenas 25%. Sem uma proteção social digna, idosos são levados ao suicídio naquele país.

Conclusão

Ao afirmar que a proposta pretende “corrigir” injustiças e igualar pobres e ricos, o governo comete injustiça, porque pessoas com alto poder aquisitivo têm o privilégio de se manterem nos estudos, sem a necessidade de se inserir no mercado de trabalho, durante o período da juventude. O povo mais pobre, mesmo que consiga se manter na escola por mais tempo e acessar e se manter na universidade através de políticas afirmativas, na maioria das vezes precisa conciliar estudo com trabalho na adolescência, para auxiliar no sustento da família.

O Brasil está sujeito a ver sua população empobrecer cada vez mais, desprotegida de qualquer programa social que possa atender milhões de trabalhadores que não conseguirão chegar à aposentadoria. Se chegarem, estarão com benefícios ao nível da extrema pobreza, pois durante a vida profissional a contribuição para a previdência refletirá os baixos salários pagos (em média de um a dois salários mínimos).

Refutamos todas as mudanças, pois não trazem avanços, apenas perdas, além de quebrar o pacto de gerações e extinguir o sistema de mutualismo. Se o segurado conseguir permanecer no mercado de trabalho até 62 ou 65 anos, os jovens enfrentarão barreira para a entrada no primeiro emprego, e serão impactados pela flexibilização das relações de trabalho impostas pela Reforma Trabalhista e pela futura carteira verde e amarela, submetidos a longos “estágios”, terceirização, avanços tecnológicos, rotatividade, enfim, toda espécie de precarização. Além da queda na arrecadação pela desoneração patronal, também teremos aumento de acidentes de trabalho, o que já se comprovou ter maior incidência em ambientes terceirizados, informais e desprotegidos.

A chamada “Nova previdência” custará muito caro ao Brasil, principalmente pelo “descasamento” entre o sistema atual de regime de repartição mutualista e o sistema de capitalização individual, neste período onde não verterão recursos patronais e nem individuais para o custeio dos benefícios já concedidos o Estado deverá arcar com essas despesas, o que representará um aumento volumoso no orçamento da União, na casa de até 2 PIBs (R$14 trilhões), segundo estimativas. Se por qualquer desajuste conjuntural o governo não tiver esses recursos acabará dando um calote nos segurados.

Todas essas mudanças se darão à margem do debate com a população, por isso nossa proposta está alinhada com a defesa da aposentadoria, contra a Reforma da Previdência, bandeira da Central Única dos Trabalhadores (CUT), que contempla: a cobrança e fiscalização de empresas devedoras da Previdência Social; políticas públicas efetivas, por parte do governo federal, que fomentem o aumento da geração de empregos formais e contemplem direitos trabalhistas vinculados à carteira assinada; alterar a cobrança de impostos no Brasil, com uma Reforma Tributária que inclua heranças, grandes fortunas, lucros e dividendos e acionistas e rentistas.

 

Assinam:

 

Central Única dos Trabalhadores do Paraná – CUT/PR

SINTRACIA – Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Cianorte e Região

APP NUCLEO SINDICAL CIANORTE – Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado do Paraná Cianorte

STR – Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Douradina

SSPMD – Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Douradina

SIMUNO – Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Nova Olímpia

STR – Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Pérola

SEIA – Sindicato dos Empregados nas Indústrias de Alimentação de Umuarama

APP NUCLEO SINDICAL UMUARAMA – Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado do Paraná Umuarama

SEEB – Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de Umuarama, Assis Chateaubriand e Região

SEESSU UMUARAMA – Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Umuarama

SISPUMU – Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Umuarama

SEESVU – Sindicato dos Empregados em Empresas de Segurança e Vigilância de Umuarama

SINDICAMPI – Sindicato dos Profissionais dos Funcionários e Servidores Públicos e Municipais de Campina da Lagoa

SEEB CAMPO MOURÃO – Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de Campo Mourão

SIND.SAUDE.C.M. – Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Campo Mourão

APP NUCLEO SINDICAL CAMPO MOURÃO – Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado do Paraná Campo Mourão

APP NUCLEO SINDICAL APUCARANA – Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado do Paraná Apucarana

SEEB APUCARANA – Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de Apucarana e Região

SEESSA – Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Apucarana

STIAA – Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Apucarana e Região

APP NUCLEO SINDICAL ARAPONGAS – Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado do Paraná Arapongas

SINDSERV-BV PARAISO – Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Bela Vista do Paraíso

SINDSERV-CAMBE E REGIÃO – Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Cambé e Região

SINDSUL – Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Centenário do Sul

SINDSERV-IBIPORA – Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Ibiporã

APP NUCLEO SINDICAL IVAIPORA – Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado do Paraná Ivaiporã

SISJAN – Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Jandaia do Sul e Região

ADUEL – Associação dos Docentes da Universidade Estadual de Londrina

APP NUCLEO SINDICAL LONDRINA – Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado do Paraná Londrina

SEEB LONDRINA – Sindicato dos Trabalhadores e Empregados em Estabelecimentos Bancários e Similares ou Conexos de Londrina e Região

SINDIPROL – Sindicato dos Professores do Ensino Superior Público de Londrina e Região

SINDIVIGI-LD – Sindicato dos Vigilantes de Londrina e Região

SINDAEL – Sindicato dos Trabalhadores na captação, purificação e tratamento da Água e Esgoto de Londrina

SINDEL – Sindicato dos Trabalhadores nas Concessionárias de Energia Elétrica e alternativa de Londrina e Região

SINDPREVS – Sindicato dos Servidores Públicos Federais em Saúde, Trabalho, Previdência e Ação Social do PR

SINTMERC-LD – Sindicato dos Trabalhadores em Mercados, Supermercados e Hipermercados de Londrina

SINTERC – Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de refeições coletivas, refeições convênio, merenda escolar terceirizada, cozinhas e restaurantes industriais do Paraná

SINPAF LONDRINA – Sindicato Nacional dos Trabalhadores de Pesquisas e desenvolvimento Agropecuário – Seção Sindical de Londrina

SINDSERV-LUP – Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Lupionópolis

SISMIT – Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Itambé

SINSEL – Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Loanda

APP NUCLEO SINDICAL MANDAGUARI – Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado do Paraná Mandaguari

SINDSERP MANDAGUAÇU – Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Mandaguaçu

SISMMAM – Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Mandaguari

SISMAV – Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Marialva

SINDESVMGA – Sindicato dos Empregados em Empresas de Segurança e Vigilância de Maringá

STESSMAR – Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Maringá

SINTEEMAR – Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino de Maringá

SINDAEN – Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Água, Esgoto e Saneamento de Maringá e Região Noroeste do Paraná

SINTRACOUROS – Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Artefatos e de Curtimento de Couro e Peles de Maringá

STEEM – Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Produção, Geração, Transmissão, Distribuição e Comercialização de Energia Elétrica de Fontes Hídricas, Térmicas e Alternativas e Gás Natural nas Empresas, Públicas e Privadas de Maringá e Reg. Noroeste do PR

APP NUCLEO SINDICAL MARINGÁ – Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado do Paraná Maringá

FESSMUC PR – Federação dos Servidores Públicos Municipais CUTistas do Paraná

SINDTFITES – Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Fiação e Tecelagem de Maringá

SINTTROMAR – Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Maringá

SISMMAR – Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Maringá

SISMUNE – Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Nova Esperança

SISMUP – Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Paiçandu

APP NUCLEO SINDICAL PARANAVAI – Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado do Paraná Paranavaí

SEEB – Sindicato dos Empregados Bancários de Paranavaí

SINDESP – Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Paranavaí

SINSERPAR – Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Paranavaí

SISMUS – Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Sarandi

APP NUCLEO SINDICAL CAMBARA – Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado do Paraná Cambará

APP NUCLEO SINDICAL CORNELIO PROCOPIO – Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado do Paraná Cornélio Procópio

SEEBCP – Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de Cornélio Procópio

SINSAUDE-CP – Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Cornélio Procópio

APP NUCLEO SINDICAL JACAREZINHO – Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado do Paraná Jacarezinho

SISMAR – Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Santa Mariana

SINDSSEBAM – Sindicato dos Servidores Públicos Municipais DE São Sebastião da Amoreira

SINSERVBRAZ – Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Wenceslau Braz

SEEB-ARAPOTI-CUT – Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de Arapoti

SINTAC – Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Lacticínios, Carne, Derivados e Rações Balanceadas de Castro e Região

SISMUCA – Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Castro

STR PALMEIRA – Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Palmeira

APP NUCLEO SINDICAL PONTA GROSSA – Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado do Paraná Ponta Grossa

SECPG – Sindicato dos Empregados no Comércio de Ponta Grossa

SEESVPG – Sindicato dos Empregados em Empresas de Segurança e Vigilância e Transporte de Valores de Ponta Grossa e Região

STR  – Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Ponta Grossa

STIMLACA – Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Massas, Lactinios, Carnes e Derivados e Alimentação de Ponta Grossa

SINTI – Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Fiação e Tecelagem de Ponta Grossa

METALURGENTE-CUT – Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Ponta Grossa e Região

S.S.P.M.S. – Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Sengés

STR  – Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Telemaco Borba

SINTRAF – Sindicato dos Trabalhadores na Agricultura Familiar de Ventania, Imbaú e Telemaco Borba

APP NUCLEO SINDICAL ASSIS CHATEAUBRIAND Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado do Paraná Assis Chateaubriand

APP NUCLEO SINDICAL CASCAVEL – Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado do Paraná Cascavel

SINDVEL – Sindicato dos Empregados em Empresas de Segurança e Vigilância de Cascavel

SINTTRACOVEL – Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Coletivo Urbano de Cascavel

SINTRAVEST – Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias do Vestuário de Cascavel e Região

SINTIACRE – Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Cascavel e Região

SINDETRAN PR – Sindicato dos Trabalhadores em atividades de Trânsito das Empresas e autarquias do Estado do Paraná

SINEFI – Sindicato dos Trabalhadores na Produção, Transmissão e Distribuição de Energia Elétrica

SISMUFI – Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Foz do Iguaçu

APP NUCLEO SINDICAL FOZ DO IGUAÇU – Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado do Paraná Foz do Iguaçu

SINDFOZ – Sindicato dos Empregados de Empresa de Segurança, Vigilância e Segurança Orgânica de Foz do Iguaçu

SSMG – Sindicato dos Servidores Públicos Municipais  de Guaíra

STR GUAIRA – Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Guaíra

SISMU – Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de São Pedro do Iguaçu

SSPMTR – Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Terra Roxa

APP NUCLEO SINDICAL TOLEDO – Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado do Paraná Toledo

SINTRAFI – Sindicato dos Trabalhadores e Empregados em Estabelecimentos Bancários de Toledo e Região

SAUDE TOLEDO – Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Toledo

SERTOLEDO – Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Toledo

SINTIMETOL – Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Toledo

STIA TOLEDO – Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Avícolas, Carnes Bovinas e Suína e das Indústrias de Alimentação de Toledo e Região

SISMUVECO – Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Vera Cruz do Oeste

STR – Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Ampere

STR – Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Bela Vista da Caroba

SINTRAF – Sindicato dos Trabalhadores na Agricultura Familiar de Capanema

STR – Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Chopinzinho

STR – Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Coronel Vivida

STR – Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Dois Vizinhos

SINTRIAL DV – Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Dois Vizinhos

APP NUCLEO SINDICAL FRANCISCO BELTRÃO – Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado do Paraná Francisco Beltrão

SINTRASAUDE – Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Francisco Beltrão

SECFB – Sindicato dos Empregados no Comércio de Francisco Beltrão

TURISMO E HOSPITALIDADE FB – Sindicato dos Empregados em Empresas de Turismo e Hospitalidade de Francisco Beltrão

STR – Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Francisco Beltrão

SINTRAF – Sindicato dos Trabalhadores na Agricultura Familiar de Itapejara D’Oeste

STR – Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Marmeleiro

STR – Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Nova Esperança do Sudoeste

STR – Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Nova Prata do Iguaçu

APP NUCLEO SINDICAL PATO BRANCO – Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado do Paraná Pato Branco

SECPB – Sindicato dos Empregados no Comércio de Pato Branco

SEESVPB – Sindicato dos Empregados em Empresas de Segurança e Vigilância, Transporte de Valores, segurança orgânica, escolta armada de Pato Branco

STR – Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Pérola D’Oeste

STR – Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Planalto

STR – Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Pranchita

STR – Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Realeza

STR – Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Renascença

STR – Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Salgado Filho

STR – Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Salto do Lontra

STR – Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Santo Antonio do Sudoeste

SINTRAF – Sindicato dos Trabalhadores na Agricultura Familiar de Vere

STR – Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Boa Ventura de São Roque

STR – Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Campina do Simão

STR CANDOI – Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Candoi

APP NUCLEO SINDICAL GUARAPUAVA – Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado do Paraná Guarapuava

SEEB GUARAPUAVA – Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de Guarapuava e Região

SISPPMUG  – Sindicato dos Servidores, funcionários Públicos e Professores Municipais de Guarapuava

APP NUCLEO SINDICAL LARANJEIRAS DO SUL – Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado do Paraná Laranjeiras do Sul

SINTRAF LARANJEIRAS DO SUL – Sindicato dos Trabalhadores na Agricultura Familiar de Laranjeiras do Sul

STR – Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Marquinho

SINDIPROM – Sindicato dos Professores Municipais de Palmas

SINTRAF – Sindicato dos Trabalhadores na Agricultura Familiar de Palmital e Laranjal

SINDPALMITAL – Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Palmital

SINTRAF – Sindicato dos Trabalhadores na Agricultura Familiar de Pinhão

STR – Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Pitanga

STR TURVO – Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Turvo

STR – Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Bituruna

STR – Sindicato dos Trabalhadores Rurais de General Carneiro

APP NUCLEO SINDICAL IRATI – Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado do Paraná Irati

STR – Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Rebouças

STR – Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Rio Azul

STR – Sindicato dos Trabalhadores Rurais de São João do Triunfo

SINDSERVIDORES SMS – Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de São Mateus do Sul

STR – Sindicato dos Trabalhadores Rurais de São Mateus do Sul

STR – Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Teixeira Soares

APP NUCLEO SINDICAL UNIÃO DA VITORIA – Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado do Paraná União da Vitória

STR – Sindicato dos Trabalhadores Rurais de União da Vitória

SINPROSMAT – Sindicato dos Professores e Servidores Municipais de Almirante Tamandaré

SINDIMONT – Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Montagem e Manutenção, prest., serv. Áreas Industriais do Estado do PR

SIMENCAL – Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Cimento, Clinquer, argamassa, Cal e Gesso De Campo Largo

STR – Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Campo Magro

STR – Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Cerro Azul

SINPAF-FLORESTAS – Sindicato Nacional dos Trabalhadores das Instituições de Pesquisa Agropecuária – Seção Sindical

SINDUTFPR – Associação dos Docentes do CEFET – Seção Sindical

SEEB CURITIBA – Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários e Financiários de Curitiba e Região

APP NUCLEO SINDICAL SINDICATO – Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado do Paraná

APP N.S. CURITIBA NORTE – Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado do Paraná Curitiba Norte

APP N.S. CURITIBA SUL – Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado do Paraná Curitiba Sul

APP N.S. METROPOLITANA NORTE – Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado do Paraná Metropolitana Norte

FETEC-CUT/PR – Federação dos Trabalhadores em Empresas de Créditos do Estado do Paraná

FETRASAP – Federação Democrática dos Trabalhadores da Saúde do Estado do PR

FTIA PR  – Federação dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação do Estado do Paraná

SINDESC  – Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde

SINDASPP – Sindicato dos Empregados em Empresas de Assessorias, Perícias, Informações e Pesquisa do Estado do Paraná

SINDARQ PR – Sindicato dos Arquitetos e Urbanistas no Estado do Paraná

SINDEESMAT – Sindicato dos Empregados em Escritório e Manutenção nas Empresas de Transp. De Passageiros de Curitiba e Região

SINDIEDUTEC – Sindicato do Trabalhadores da Educação Básica Técnica e Tecnológica do Estado do Paraná

SEESVC – Sindicato dos Empregados em Empresas de Segurança e Vigilância de Curitiba

SINDEESFORT – Sindicato dos Empregados em Empresa de Transporte de Valores e Escolta Armada do Paraná

SINDISEAB – Sindicato Estadual dos Servidores Públicos da Agricultura, Meio Ambiente, Fundepar e Afins

SINDER  – Sindicato dos Servidores Públicos do Departamento de Estradas e Rodagem do Estado do Paraná

SINDIURBANO – Sindicato dos Trabalhadores em  Urbanização do Estado do Paraná

SIPOL – Sindicato dos Investigadores de Pericia do Estado do Paraná

SINTRAPAV – Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Construção de Estradas, Pavimentação e Obras de Terraplenagem em Geral de Curitiba

SINTRACON CURITIBA – Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil  de Curitiba e Região

SINDIPETRO SC PR – Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Refinação,  Dest. Exp. E Produtos de Petróleo nos Estados do Paraná e Sta. Catarina

SINDIQUIMICA – Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Petroquímicas do Estado do Paraná

SINDPD – Sindicato dos Empregados de Empresas de Processamento de Dados do Estado do Paraná

STIP CURITIBA – Sindicato dos Trab. nas Ind. de panificação e confeitaria,  do Açucar, Trigo, Milho, Mandioca, Aveia, Massas Alimenticias e Biscoitos, Conservas Alimenticias de Curitiba e Região Metropolitana e de Produtos de Cacau, Balas e Doces da Região Metropolitana de Curitiba.

SINDIJOR PR – Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná

SINPOAPAR – Sindicato dos Peritos Oficiais e Auxuliares do Paraná – PR

SINDMARES – Sindicato dos Trabalhadores no Comércio Hoteleiro, Bares e Lanchonetes de Guaratuba

SINTRAF – Sindicato dos Trabalhadores na Agricultura Familiar de Itaperuçu

SINDIZEL – Sindicato dos Zeladores e similares de Matinhos

APP NUCLEO SINDICAL PARANAGUA – Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado do Paraná Paranaguá

STICCGESSP – Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Cimento, Cal e Gesso de Rio Branco do Sul

APP N.S. METROPOLITANA SUL – Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado do Paraná São José dos Pinhais

SINSEP – Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de São José dos Pinhais

Escreva um comentário

Rua XV de novembro, 270, sala 510, Centro, Curitiba-PR, CEP 80020-310, Fone (41)-33229885, Fax (41)-33245636, fetec@fetecpr.org.br