Diretor da secretaria de saúde da FETEC-CUT-PR, Ademir Vidolin apresenta evolução dos debates entre representantes dos trabalhadores e dos bancos 

Durante o painel de saúde e condições de trabalho, parte da programação da 21ª Conferência Estadual dos Bancários do Paraná, realizado na tarde deste sábado, 20 de julho, em Londrina, o bancário Ademir Vidolin, diretor da secretaria de saúde da FETEC-CUT-PR, retomou alguns aspectos sobre a importância da ação das secretarias de saúde dos sindicatos junto aos trabalhadores. O atendimento se estende para orientações sobre perícia, adiantamento de salário para inaptos, forma de devolução de valor após o recebimento do benefício, suspensão de pagamento de VA. Serviços de suporte para bancários para a área de saúde.

Outra temática retomada pelo dirigente foi a forma como os bancos sempre se recusaram a debater a cobrança de metas, entendida atualmente como o principal motivo de adoecimento dos trabalhadores bancários. No mês de julho teve início um calendário de debates e seminários sobre cobrança de metas e pode-se traçar um novo perfil geracional do trabalhador bancário: jovem, com alto nível de resiliência e altamente conectado, uma mudança atrelada à precarização de direitos dos trabalhadores.

Entre as consequências da cobrança de metas com esse novo perfil, foram identificados o afastamento do senso de pertencimento de classe, com individualidade acentuada; perda da captura da subjetividade, perceptível quando o bancário demonstra pensar o que a empresa quer que ele pense; perda do controle da vida pessoal; obsessão pela rentabilidade (para o banco); sofrimento ético atrelado ao desespero pelo batimento de metas, o que tem causado casos de demissão por justa causa; competitividade que leva à deterioração das relações interpessoais; assédio moral institucional como instrumento para atingir metas. “Não importa se a meta é batida ou não, o problema é a cobrança, que causa sofrimento”, pontua Ademir.

Entre as doenças associadas às cobranças de metas e condições de trabalho na categoria bancária, estão o quadro de ansiedade generalizada; transtornos relacionados ao estresse; síndrome de bornaut; ideias suicidas.

A programação continua nesta tarde com o debate sobre a reforma da previdência.

Saiba mais: 

Bancários do Paraná se reúnem em Londrina para organizar enfrentamentos contra retirada de direitos

Análise: novos bancários entram para trabalhar em banco sem nunca ter precisado de uma agência bancária

Por Paula Zarth Padilha
FETEC-CUT-PR

Escreva um comentário

Rua XV de novembro, 270, sala 510, Centro, Curitiba-PR, CEP 80020-310, Fone (41)-33229885, Fax (41)-33245636, fetec@fetecpr.org.br