Rua XV de novembro, 270, sala 510, Centro, Curitiba-PR, CEP 80020-310, Fone (41)-33229885, Fax (41)-33245636, fetec@fetecpr.org.br
 
 
publicado em 11 de outubro de 2018 às 12:51:
Paulo Guedes, ministro da economia de Bolsonaro, já coloca preço para vender Caixa e BB

Em entrevista na Globo News, Paulo Guedes fala que ninguém deve ser convencido, que com liberais no poder é só aprovar o plano de privatização

Economista Paulo Guedes comanda programa de governo e foi escolhido Ministro da Economia num governo Bolsonaro, planejando privatização de bancos públicos. Foto: Fernando Frazão / Agencia Brasil

Já anunciado ministro da economia do que seria o governo de Jair Bolsonaro, o economista Paulo Guedes declarou, em entrevista à Globo News, que contratou um estudo para saber o “valor de mercado” das estatais, anunciando a venda do Banco do Brasil e da Caixa.

O BB, por exemplo, seria privatizado por R$ 83,5 bilhões, e mais R$ 50,2 bilhões da fatia do BB Seguridade, que também é uma estatal. Para ele, o Congresso aprovaria a privatização de todas as estatais, além dos bancos públicos, do que resta da Petrobrás, a Eletrobrás e a BR Distribuidora, entre outras.

Valores de mercado para privatização de estatais foram mostrados durante entrevista à Globo News (Reprodução)

“Nós não somos prisioneiros da Caixa”, disse aos jornalistas. Para ele, não existe a necessidade de convencer a população sobre a privatização de estatais, basta uma aliança de centro e de direita, que ele chama de liberais democratas. Os trabalhadores dessas empresas sequer são mencionados. “Não tem que convencer. Se os liberais democratas estiverem no governo, é aprovar um plano de privatização”.

Durante o discurso pós-resultado eleitoral do primeiro turno, o próprio candidato Jair Bolsonaro afirmou que das 150 estatais do país “no mínimo 50 ou nós privatizamos ou extinguimos simplesmente, já no primeiro ano”, para “diminuir o tamanho do estado” e que iria definir “quais estatais são estratégicas”.

Para Daniele Bittencourt, Assistente A de Unidade Negocial no BB, os bancários precisam ficar atentos aos posicionamentos dos candidatos. “Eles são bem evidentes. Bolsonaro deixa claro que fará o que Paulo Guedes indicar. E por mais que os bancários do BB não acreditem no risco de privatização, ela está prevista no plano de governo, existe o estudo com valores de venda e Guedes reafirmou em entrevista à TV”, afirma.

“A Caixa é um patrimônio do povo brasileiro e nossa preocupação vai muito além das dificuldades que os funcionários enfrentarão com essa situação. A Caixa tem responsabilidade com o país, com políticas sociais, com o Minha Casa Minha Vida, o Bolsa Família, o FGTS, o PIS.  Por isso, esse posicionamento de Paulo Guedes nos preocupa muito”, posiciona-se Zelário Bremm, bancário da Caixa.

A entrevista foi ao ar no dia 23 de agosto.

Se, por um lado, um dos planos de governo apresenta a pauta de privatização dos bancos públicos e demais estatais, o outro candidato, Fernando Haddad, assinou documento se comprometendo com apoio e fortalecimento das empresas públicas, um termo de compromisso apresentado pelo Comitê Nacional em Defesa das Empresas Públicas. A manutenção dos bancos públicos também está prevista em seu plano de governo, em que BB, Caixa e BNDES vão continuar sendo “mecanismos de financiamento ao desenvolvimento nacional”.

 

deixe seu comentário

 
últimas notícias
12 de Abril de 2019
  Manifesto contra a Reforma da Previdência (PEC 06/2019)
10 de Abril de 2019
  Lute contra a Reforma da Previdência: envie um e-mail para todos os deputados com...
9 de Abril de 2019
  Bancários debatem em seminário sobre o desmonte da proteção social com a Reforma da...
9 de Abril de 2019
  Gritos por “Lula Livre” e “Marielle Vive” marcam debate sobre democracia no Teatro da...
8 de Abril de 2019
  Paulo Guedes propõe fim da valorização real do salário mínimo; entenda os impactos
  © Copyright 2011. Todos os direitos reservados.
WebmaniaBR® - Ideias em códigos