Rua XV de novembro, 270, sala 510, Centro, Curitiba-PR, CEP 80020-310, Fone (41)-33229885, Fax (41)-33245636, fetec@fetecpr.org.br
 
 
publicado em 11 de outubro de 2018 às 12:51:
Paulo Guedes, ministro da economia de Bolsonaro, já coloca preço para vender Caixa e BB

Em entrevista na Globo News, Paulo Guedes fala que ninguém deve ser convencido, que com liberais no poder é só aprovar o plano de privatização

Economista Paulo Guedes comanda programa de governo e foi escolhido Ministro da Economia num governo Bolsonaro, planejando privatização de bancos públicos. Foto: Fernando Frazão / Agencia Brasil

Já anunciado ministro da economia do que seria o governo de Jair Bolsonaro, o economista Paulo Guedes declarou, em entrevista à Globo News, que contratou um estudo para saber o “valor de mercado” das estatais, anunciando a venda do Banco do Brasil e da Caixa.

O BB, por exemplo, seria privatizado por R$ 83,5 bilhões, e mais R$ 50,2 bilhões da fatia do BB Seguridade, que também é uma estatal. Para ele, o Congresso aprovaria a privatização de todas as estatais, além dos bancos públicos, do que resta da Petrobrás, a Eletrobrás e a BR Distribuidora, entre outras.

Valores de mercado para privatização de estatais foram mostrados durante entrevista à Globo News (Reprodução)

“Nós não somos prisioneiros da Caixa”, disse aos jornalistas. Para ele, não existe a necessidade de convencer a população sobre a privatização de estatais, basta uma aliança de centro e de direita, que ele chama de liberais democratas. Os trabalhadores dessas empresas sequer são mencionados. “Não tem que convencer. Se os liberais democratas estiverem no governo, é aprovar um plano de privatização”.

Durante o discurso pós-resultado eleitoral do primeiro turno, o próprio candidato Jair Bolsonaro afirmou que das 150 estatais do país “no mínimo 50 ou nós privatizamos ou extinguimos simplesmente, já no primeiro ano”, para “diminuir o tamanho do estado” e que iria definir “quais estatais são estratégicas”.

Para Daniele Bittencourt, Assistente A de Unidade Negocial no BB, os bancários precisam ficar atentos aos posicionamentos dos candidatos. “Eles são bem evidentes. Bolsonaro deixa claro que fará o que Paulo Guedes indicar. E por mais que os bancários do BB não acreditem no risco de privatização, ela está prevista no plano de governo, existe o estudo com valores de venda e Guedes reafirmou em entrevista à TV”, afirma.

“A Caixa é um patrimônio do povo brasileiro e nossa preocupação vai muito além das dificuldades que os funcionários enfrentarão com essa situação. A Caixa tem responsabilidade com o país, com políticas sociais, com o Minha Casa Minha Vida, o Bolsa Família, o FGTS, o PIS.  Por isso, esse posicionamento de Paulo Guedes nos preocupa muito”, posiciona-se Zelário Bremm, bancário da Caixa.

A entrevista foi ao ar no dia 23 de agosto.

Se, por um lado, um dos planos de governo apresenta a pauta de privatização dos bancos públicos e demais estatais, o outro candidato, Fernando Haddad, assinou documento se comprometendo com apoio e fortalecimento das empresas públicas, um termo de compromisso apresentado pelo Comitê Nacional em Defesa das Empresas Públicas. A manutenção dos bancos públicos também está prevista em seu plano de governo, em que BB, Caixa e BNDES vão continuar sendo “mecanismos de financiamento ao desenvolvimento nacional”.

 

deixe seu comentário

 
últimas notícias
5 de dezembro de 2018
  Laço Branco: Dia de Mobilização do Homem pelo Fim da Violência Contra a Mulher
5 de dezembro de 2018
  FETEC/PR promove seminário sobre igualdade de oportunidades em Londrina
30 de novembro de 2018
  Coletivo de Saúde inicia planejamento nacional para 2019
30 de novembro de 2018
  Ratinho quer privatizar uma das melhores empresas de banda larga do Brasil
30 de novembro de 2018
  Seminário analisou impactos da Reforma Trabalhista
  © Copyright 2011. Todos os direitos reservados.
WebmaniaBR® - Ideias em códigos