Rua XV de novembro, 270, sala 510, Centro, Curitiba-PR, CEP 80020-310, Fone (41)-33229885, Fax (41)-33245636, fetec@fetecpr.org.br
 
 
publicado em 27 de junho de 2018 às 12:57:
PL do Veneno na comida foi aprovado em comissão e será votado no plenário da Câmara Federal

Sob relatoria do deputado federal pelo Paraná Luiz Nishimori (PR), a Comissão Especial especial sobre agrotóxicos da Câmara Federal aprovou, na última segunda-feira, 25 de junho, o projeto de lei 6299/02, conhecido como PL do Veneno, por autorizar a liberação de uso de substâncias cancerígenas, que causam problemas neurológicos, hormonais, entre outros prejudiciais à saúde humana, mesmo ainda em fase de testes, que não acontecem em seres humanos. Essas substâncias que o PL autoriza são proibidas atualmente pela Anvisa, cujo projeto de lei também retira da fiscalização, que atualmente é prerrogativa também do ministério do meio ambiente e da agricultura, a quem a partir da aprovação da lei caberá a definição do que será liberado.

Seguindo a linguagem utilizada nesse período pós-golpe, Nishimori chama a lei do veneno de “modernização”, declarando: “Queremos modernizar, estamos apresentando uma das melhores propostas para o consumidor, para a sociedade e para a agricultura, que precisa dos pesticidas como precisamos de remédios”, disse Luiz Nishimori, em matéria publicada pela Agência Câmara.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) denuncia os perigos da aprovação da lei, que também altera a nomenclatura de “agrotóxico” para “defensivos agrícolas” e “produtos fitossanitários”: “A Anvisa é contrária à proposta do substitutivo do Projeto de Lei (PL) 6299/02, que trata do registro, fiscalização e controle dos agrotóxicos no País e que retira da Agência, na prática, a competência de realizar reavaliação toxicológica e ambiental desses produtos”.

De acordo com veiculação do G1, o órgão listou alguns alimentos que poderão ter a utilização das substâncias que atualmente são proibidas e elas incluem: cacau, algodão, cana de açúcar, café, soja, maçã, morango, pêssego, berinjela, algodão, feijão, abacaxi, alface, abóbora, amendoim, arroz, banana, brócolis, couve-flor, figo, goiaba, manga melancia, melão, tomate, trigo, pepino, pimentão, repolho, batata, feijão, alho, cebola, cenoura.

O PL do Veneno, sob relatoria de Luiz Nishimori, foi aprovado por outros 17 deputados federais na comissão especial: Adilton Sachetti (PRB-MT), Alberto Fraga (DEM-DF), Alceu Moreira (MDB-RS), Celso Maldaner (MDB-SC), César Halum (PRB-TO), Covatti Filho (PP-RS), Fábio Garcia (DEM-MT), Geraldo Rezende (PSDB-MS), Junji Abe (MDB-SP), Luís Carlos Heinze (PP-RS), Marcos Montes (PSD-MG), Nilson Leitão (PSDB-MT), Prof. Victorio Galli (PSL-MT), Sérgio Souza (MDB-PR), Tereza Cristina (DEM-MS), Valdir Colatto (MDB-SC) e Zé Silva (SD-MG).

O projeto de lei segue para votação no plenário da Câmara e depois retorna ao Senado antes de ser sancionado pela Presidência.

Por Paula Zarth Padilha

Saiba mais: O Brasil consome mais de um bilhão de litros de venenos agrícolas por ano. Isso representa 20% do mundo. 

deixe seu comentário

 
últimas notícias
13 de julho de 2018
  Bancos não assinam a ultratividade e frustram bancários
11 de julho de 2018
  Procon lacra agências do Bradesco em Londrina pela demora no atendimento
10 de julho de 2018
  1º Encontro de Aposentados será nesta terça, 10 de julho, em Curitiba, a partir...
10 de julho de 2018
  Ato pela democracia traz a Curitiba blogueiro que teve quebra de sigilo de fonte...
5 de julho de 2018
  Temer propõe congelamento de salário dos servidores e fim de concurso público
  © Copyright 2011. Todos os direitos reservados.
WebmaniaBR® - Ideias em códigos