A primeira palestra do Seminário de Educação à Distância, que ocorre nesta quinta-feira (13) e sexta-feira (14) no Campus Jardim Botânico da Universidade Federal do Paraná (UFPR), foi ministrada pela professora Marina Isabel Mateus de Almeida, do Núcleo de Educação à Distância da UFPR. A professora fez uma explanação sobre os programas do governo federal nessa área e apresentou avaliações sobre a modalidade de ensino. O seminário é promovido pela Escola de Governo, vinculada à Secretaria de Estado da Administração e da Previdência.

Marina de Almeida reiterou a afirmação que o secretário de Assuntos Estratégicos, Nizan Pereira, havia feito na solenidade de abertura do evento, de que educação à distância não é uma “extensão da sala de aula”, isto é, apenas a transmissão de uma aula por algum tipo de mídia. “Não podemos confundir. E também não é válida a idéia de que a educação à distância vem para substituir o ensino presencial, tirar o professor da sala de aula.”

A professora da UFPR explicou que a educação à distância não é apropriada, por exemplo, para a alfabetização, ou para o ensino de crianças e adolescentes. “Ela serve para um adulto, que já tem formação básica, mas que já tem compromissos no dia-a-dia, trabalha o dia inteiro, não tem tempo nem condições de passar um período inteiro em sala de aula. Ou seja, para um público extremamente definido e com características particulares.”

De acordo com Marina de Almeida, o governo federal, por meio do Ministério da Educação e do “Fórum das Estatais pela Educação”, constituído em 2004, tem realizado uma série de programas de educação à distância. A modalidade tem sido aproveitada na promoção de cursos de ensino médio e pós-médio (técnico e profissionalizante) e de ensino superior. E, ainda, em cursos de qualificação de servidores públicos e, sobretudo, de professores.

“Uma pesquisa do Ministério da Educação, de 2005, mostrou que em alguns lugares do país há professores dando aula que não têm sequer a quarta série completa. Ora, como se faz um país sem educação, e como se faz uma educação sem professor? O ensino à distância é, em casos assim, a forma mais rápida de levar educação”, salientou a professora da UFPR.

===========================================

Governo vai utilizar mídias públicas para ampliar capacitação do servidor

Todos os recursos tecnológicos e de mídia que estiverem ao alcance do Governo do Paraná serão utilizados para expandir, a um maior número possível de localidades, os programas de capacitação do funcionalismo estadual. A informação foi dada pelo secretário Especial de Assuntos Estratégicos, e diretor-presidente da Celepar, Nizan Pereira, à gerente-executiva da Escola de Governo, Marli Pasqualin, e aos cerca de 100 servidores públicos que participaram nesta quinta-feira (13) da abertura do Seminário de Educação à Distância.

O evento, que se encerra nesta sexta-feira (14), ocorre no Campus Jardim Botânico da Universidade Federal do Paraná (UFPR), e a programação prevê a realização de palestras e oficinas de questões referentes à educação à distância. O seminário faz parte do programa “Capacitando para a Educação à Distância”, promovido pela Escola de Governo (vinculada à Secretaria de Estado da Administração e da Previdência) em parceria com a Celepar, com a Paraná Educativa, Escola de Saúde Pública do Paraná (da Secretaria da Saúde) e com a UFPR.

“Os meios de comunicação públicos – nosso sistema de internet, de rádio, televisão – serão colocados à disposição dos programas de qualificação do funcionalismo”, disse Nizan Pereira. “Educação à distância não é uma extensão da sala de aula, uma filial da sala de aula. É um meio, uma modalidade de ensino a partir do aproveitamento dos recursos tecnológicos, das novas tecnologias, uma forma de possibilitar o acesso à informação, e é a partir da informação que se estabelece o processo educacional”, frisou.

MESAS-REDONDAS – O secretário reafirmou que a Paraná Educativa abrirá espaço na sua programação para mesas-redondas como parte do projeto “Capacitando para Educação à Distância”. As gravações deverão ter início nos próximos dias. “Serão cinco programas, a serem transmitidos uma vez por semana”, adiantou.

Ao agradecer a parceria com a Celepar e com a Paraná Educativa, a gerente-executiva da Escola de Governo, Marli Pasqualin, lembrou que, dada a necessidade de atender um público que está distribuído por todo território paranaense, como são os servidores públicos estaduais, a educação à distância é um caminho dos mais viáveis para que os programas de qualificação do funcionalismo cheguem a todos. “É uma forma de integração do Estado, e é disso que precisamos: parcerias e integração para atendermos todos os servidores.”

SERVIÇO – Informações detalhadas do programa estão no sítio da Escola de Governo na internet (www.escoladegoverno.pr.gov.br), no menu vertical no lado esquerdo da página, no item “Educação à Distância”.

BOX

Programação inclui oficinas de material didático e informática

O Seminário de Educação à Distância tem o objetivo de preparar servidores públicos que atuam com projetos de capacitação profissional para estarem aptos a lidar com a modalidade de ensino à distância. Por isso, o seminário tem em sua programação palestras e debates como temas mais conceituais e teóricos; reservou, também, espaço para trabalhos práticos.

Haverá, por exemplo, um treinamento da Celepar, sobre o uso do “xoops”, ferramenta de software livre utilizada para a construção e manutenção de páginas virtuais. Outra aula será sobre recursos televisivos, de vídeo, áudio e conferências via internet. Mais uma oficina prevista será sobre “moodle” – programa de administração de materiais educacionais voltados a comunidades “online”. A programação do seminário contempla ainda uma oficina sobre produção de material didático para cursos à distância.

NOTÍCIAS COLHIDAS NO SÍTIO www.aenoticias.pr.gov.br.

Escreva um comentário

Rua XV de novembro, 270, sala 510, Centro, Curitiba-PR, CEP 80020-310, Fone (41)-33229885, Fax (41)-33245636, fetec@fetecpr.org.br