O Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários, Financiários e Empresas do Ramo Financeiro de Curitiba e região recebeu, no início desta semana, um desabafo de um Gerente Geral (GG) do Banco do Brasil, que está saindo do banco no Plano de Demissão Voluntária (PDV). O texto, que também tem circulado nos grupos de WhatsApp dos funcionários, não é assinado, mas detalha alguns pontos importantes do sucateamento do banco público e das péssimas condições de trabalho que os funcionários enfrentam.

Ao longo do desabafo, o ex-bancário também manda recados para a diretoria e os vice-presidentes do BB: “[…] saiam dessa bolha e passem uma semana na agência”. E questiona: “Outra coisa, de quem foi a ideia de girino de achar que o ‘jeito Disney de encantar clientes’ pode ser adaptado ao BB? Por acaso você vai ao BB de férias ou esperando encontrar o Pateta?”, ironiza.

Aos superintendentes, ele pede: “[…] pelo amor, deixa o Comercial trabalhar e pare de encher o saco toda hora, de ficar mandando zap direto para os GGs, de atravessar a função do cara. […] Coloca a galera da Super pra pensar em como melhorar nossa vida e não apenas mandar novas listas. O papel de vocês deveria ser como atrair os clientes para o Varejo. Com os clientes no Varejo, o Varejo faz negócio”. E vai além: “Deem às agências condições dignas. Não perturbe o cara que tá suando sangue com 2 funcionários em uma agência que deveria ter 6, 7, 8. Se o cara tem 30% do efetivo e faz 70% da meta, esse cara deveria ser promovido! Em vez disso, vemos a política do medo, do descomissionamento”.

Embora o texto tenha chegado anonimamente ao Sindicato, a direção da entidade fez questão de encaminhar as considerações do bancário à Gestão de Pessoas do Banco do Brasil (Gepes), solicitando que sejam tomadas providências para a melhoria das condições de trabalho. “Não temos certeza se a carta realmente foi escrita por um GG, pois, infelizmente, não conseguimos localizar o autor. Mas fictício ou verdadeiro, sabemos que o texto reflete o sentimento que os funcionários do BB têm atualmente”, explica a dirigente sindical Ana Paula Busato.

“Temos claro que as situações relatadas no desabafo dialogam muito com a condição de trabalho da rede varejo. Por isso, cobramos a Gepes e esperamos que a direção do BB olhe para esta situação de forma proativa, tentando melhorar as condições de trabalho. Sabemos que a restruturação e o sucateamento do banco não é responsabilidade da Gepes, mas estamos cientes que há uma possibilidade de sensibilizar gestores e superintendentes para que essa pressão não chegue de forma tão adoecedora aos funcionários”, conclui Ana Paula.

Fonte: Seeb Curitiba

Escreva um comentário

Rua XV de novembro, 270, sala 510, Centro, Curitiba-PR, CEP 80020-310, Fone (41)-33229885, Fax (41)-33245636, fetec@fetecpr.org.br