Na busca pela imunização da categoria bancária, o Sindicato de Londrina realizou debates no âmbito do Conselho Municipal de Saúde para que os trabalhadores das atividades essenciais fossem incluídos como grupos prioritários para receber imunizante para a Covid-19.

Segundo o diretor Laurito Porto de Lira Filho, foram feitas também interpelações junto ao Executivo Municipal após aprovações na Câmara de Vereadores que permitiriam a aquisição de vacinas pela Prefeitura, e neste sentido conseguiu que a CISTT (Comissão Intersetorial da Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora) emitisse uma recomendação encaminhada à Secretária de Saúde do Município para a inclusão no Plano Municipal de Imunização as categorias essenciais que constam nos decretos federal, estadual e municipal.

O Sindicato também encaminhou ofícios no início do ano solicitando, tanto à Câmara de Vereadores, quanto à Prefeitura Municipal de Londrina, a inclusão da categoria como prioritária. “Na Câmara, o pedido resultou na aprovação, em março, da Indicação nº 251/2021, encaminhada ao Poder Executivo solicitando a inclusão da categoria no Plano Municipal de Vacinação. Como não tivemos resposta da Prefeitura até o final do mês de março, o Sindicato novamente encaminhou oficio ao Gabinete do prefeito de Londrina, Marcelo Belinati, solicitando resposta ao pedido feito anteriormente e também juntou ao novo oficio a indicação e o ofício recebido da Câmara informando o envio ao executivo municipal da indicação aprovada na Câmara pedindo nossa inclusão como grupo prioritário para receber imunizante contra a Covid-19”, relata Laurito.

A resposta dada pela Prefeitura foi de que as vacinas recebidas até o momento fazem parte do Plano Nacional de Imunização e não permitem a inclusão de novas categorias aos grupos determinados pelo Ministério da Saúde. A 24ª Promotoria de Saúde e a 17ª Regional de Saúde encaminharam recomendações para o Município informando da necessidade da observância fiel aos grupos determinados pelo Ministério.

“Na última reunião que teve a presença do Prefeito entregando propostas de medidas de contenção da pandemia, realizada dia 17 de maio, nós indagamos sobre o andamento das negociações do Consorcio de Municípios e os laboratórios para a aquisição de vacinas. O prefeito disse que os laboratórios por enquanto não estão querendo vender vacinas contra a Covid-19 para os municípios, preferindo vender exclusivamente para o Governo Federal”, conta o diretor do Sindicato.

Apesar disso, Laurito afirma que o Sindicato continua firme na busca por vacinas para a categoria, fazendo interlocuções junto à Câmara de Vereadores em Londrina para que bancários e bancárias sejam atendidos assim que o município conseguir adquirir o imunizante. Em outra esfera, a Contraf-CUT desenvolve ações a nível federal solicitando a inclusão dos bancários em projeto de lei na Câmara de Deputados para a vacinação contra a Covid-19.

Fonte: Vida Bancária

Escreva um comentário

Rua XV de novembro, 270, sala 510, Centro, Curitiba-PR, CEP 80020-310, Fone (41)-33229885, Fax (41)-33245636, fetec@fetecpr.org.br