Nesta terça-feira (23/11), o Sindicato de Londrina está paralisando o expediente das agências do prédio central do Bradesco, da Avenida Bandeirantes e a de Ibiporã, seguindo a orientação da COE (Comissão de Organização dos Empregados) para forçar o banco a suspender o novo processo de demissões.

Valdecir Cenali, diretor do Sindicato de Londrina e representante do Vida Bancária na COE Bradesco, afirma que somente este ano o banco já mandou para o olho da rua aproximadamente 4.000 bancários e bancárias. “Na base do pinga-pinga, o Bradesco vai dispensando bancários e bancárias em todo o País. No final, acaba realizando mais um processo de demissão em massa, como ocorreu no ano passado”, recorda.

Para Valdecir, quem tem lucro bilionário não tem justificativa para demitir e precisa mesmo gerar mais empregos para dar atendimento de qualidade aos clientes e usuários. “Ao invés de reduzir o número de funcionários e implantar agências de negócios, o Bradesco tem que voltar a ser o banco de antes, com as portas abertas para a população e mais bancários para melhor atender”, cobra.

Material distribuído aos clientes e usuários orientou formas de registrar reclamações contra o banco pelo descumprimento das leis que regulamentam o tempo de espera nas filas.

Texto: Armando Duarte Jr.

Fonte: Vida Bancária

Escreva um comentário

Rua XV de novembro, 270, sala 510, Centro, Curitiba-PR, CEP 80020-310, Fone (41)-33229885, Fax (41)-33245636, fetec@fetecpr.org.br