Dia Internacional de Prevenção é lembrado em 28 de fevereiro, e, para Sindicatos, bancos ignoram doenças

LER/DORT: Tenda na Boca Maldita atende centenas de pessoas

Nesta quarta-feira, 27 de fevereiro, o Sindicato dos Bancários de Curitiba e região, em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba (SMSC) e demais entidades, realizou atividades de prevenção a saúde na Boca Maldita. “A finalidade do evento foi dar visibilidade ao problema das LER/Dort e orientar os trabalhadores sobre como se prevenir”, destaca Ana Fideli, secretária de Saúde e Condições de Trabalho do Sindicato.

Uma grande tenda montada na Rua XV de Novembro ofereceu aos transeuntes sessões de massoterapia e acupuntura. Estiveram presentes no local também profissionais de Fisioterapia e Medicina do Trabalho, além de alunos da UFPR, dirigentes do movimento sindical bancário e representantes da SMSC e do Crefito. “As atividades atraíram centenas de pessoas, entre elas muitos bancários. O resultado foi bastante satisfatório!”, conclui Ana Fideli.

Saiba mais:

LER/Dort: Sindicato promoveu tarde de palestras

Por: Renata Ortega

Notícia colhida no sítio http://www.bancariosdecuritiba.org.br/noticias_detalhe.asp?id=16201&id_cat=5

==============================

Clique aqui e leia a cartilha com orientações sobre como prevenir as LER/DORT, elaborada pelo Sindicato

==============================

Em Londrina, atividade do Sindicato destaca a prevenção das LER/DORT

O Sindicato dos Bancários de Londrina e Região realizou hoje (26/02) uma atividade no centro da cidade, divulgando aos trabalhadores bancários e à população a necessidade de prevenção das LER/DORT. O ato fez um alerta para marcar o Dia Internacional de Prevenção das LER/DORT, a ser celebrado no dia 28 de fevereiro.

Foto atividade saude Londrina 26022013a maior

A LER (Lesões por Esforços Repetitivos) e os DORT (Distúrbios Osteo-musculares Relacionados ao Trabalho) são doenças caracterizadas pelo desgaste de estruturas do sistema músculo-esquelético que atingem várias categorias profissionais, em especial a bancária.

Foto atividade saude Londrina 26022013b maior

Elas são doenças ocupacionais, ou seja, relacionadas ao trabalho, e surgem em função de atividades repetitivas e do ritmo em que são executadas, provocando desgaste dos tendões e dos músculos das mãos e braços. Também contribui para agravar o quadro da pessoa lesionada a ergonomia dos móveis e a postura da mesma em seu local de trabalho.

Durante a atividade foi distribuída à população uma Carta Aberta, explicando o que são as LER/DORT, quais os fatores de risco que levam ao aparecimento da doença e orientações sobre a prevenção.

Também foi lançado na atividade o Guia de Saúde Laboral, produzido para a categoria contendo uma série de orientações sobre como prevenir as LER/DORT.

Foto atividade saude Londrina 26022013c maior

“Nosso objetivo é conscientizar os bancários e as bancárias para prevenir a incidência de LER/DORT, adotando posturas corretas no local de trabalho, observando os intervalos para descanso e procurando auxílio-médico assim que surgir algum sintoma”, explica Regiane Portieri, secretária de Saúde do Sindicato de Londrina.

Foto atividade saude Londrina 26022013 maior

Notícia colhida no sítio www.vidabancaia.com.br

===========================================

PACTU lembra 28 de fevereiro, Dia Internacional de Prevenção às LER/DORT

esponsáveis por mais de 45% dos benefícios previdenciários concedidos pelo Instituto Nacional do Seguro Social, as LERs/Dort são símbolo do descaso das empresas no que diz respeito à integridade física e mental de seus funcionários.

Consideradas como questão de saúde pública mundial, as lesões são acarretadas por atividades desenvolvidas diariamente no ambiente de trabalho, resultando em dor e sofrimento ao trabalhador, podendo inclusive atingir estágios irreversíveis.

Diante da gravidade, desde o ano 2000, o último dia do mês de fevereiro é lembrado em vários países como o Dia Internacional de Conscientização sobre as LERs/Dort, numa tentativa de difundir as causas, as formas de prevenção e, assim, reverter o quadro da doença, até então responsável por inúmeros afastamentos do trabalho.

Dentre as categorias mais afetadas estão os bancários, metalúrgicos, digitadores, operadores de linha de montagem, operadores de telemarketing, secretárias e jornalistas. Na categoria bancária, os afastamentos decorrentes das lesões são, em média, de 493 dias contra uma média nacional de 269 dias.

“Com todo avanço tecnológico e os ganhos de lucratividade dos bancos, os problemas de saúde aumentam a cada dia, especialmente a LER/Dort. Essa situação somente será revestida na medida em que nós conseguirmos interferir na forma de organização do trabalho nos bancos”, afirma o diretor de Saúde e Segurança no Trabalho do Sindicato dos Bancários de Guarapuava, Carlos Farinha.

“Em hipótese alguma, as LERs/Dort podem ser consideradas de causa natural do processo de trabalho, mas sim como consequência de um sistema organizacional adotado por empresas, dentre as quais os bancos, que submetem seus funcionários a condições inadequadas de trabalho, além de metas abusivas com ausência de pausas e jornadas excessivas”, salienta a secretária Cultura, Formação e Esporte do Sindicato dos Bancários de Toledo, Isabel Cristina Gregório.

A dirigente ressalta a importância da informação e da conscientização dos trabalhadores e, principalmente dos empregadores, que ainda vêem os investimentos em prevenção como sinônimo de custo. “Muitos dos empregadores preferem manter ambientes e rotinas inadequadas à saúde dos empregados.Também há aqueles que acreditam que basta disponibilizar mobiliário ergonômico para prevenir a doença. Eles precisam ter a consciência de que investir na prevenção é garantia de contar com funcionários saudáveis e capazes de contribuir com o crescimento das empresas”, finaliza Isabel.

Fonte: Pactu, com Contraf-CUT

Notícia colhida no sítio http://www.pactu.org.br/noticia.php?id=838

Escreva um comentário

Rua XV de novembro, 270, sala 510, Centro, Curitiba-PR, CEP 80020-310, Fone (41)-33229885, Fax (41)-33245636, fetec@fetecpr.org.br