[email protected] | (41) 3322-9885 | (41) 3324-5636

Por 09:16 Sem categoria

Quarta Marcha da Classe Trabalhadora; CUT Nacional intensifica mobilização nesta semana

Na semana que antecede a IV Marcha da Classe Trabalhadora, chamada pela CUT e demais centrais para o dia 5 de dezembro, dirigentes, assessores e praticamente todos os setores da Central Única dos Trabalhadores, em sua sede no Brás, em São Paulo, intensificaram seus esforços na organização desta grande atividade que acontece anualmente em Brasília-DF.

Da preparação e distribuição de materiais gráficos, como faixas, cartazes, cartilhas, panfletos entre outros, à organização de caravanas que partirão de diversos estados do país rumo a Brasília, cutistas de todo o Brasil estão mobilizados para lotar as ruas da capital federal na primeira quarta-feira de dezembro. O esforço está valendo a pena: até esta terça-feira (27), milhares já haviam confirmado presença.

As três primeiras marchas realizadas foram responsáveis em dar início e a consolidar todo um processo de recuperação do poder de compra do salário mínimo. Neste ano, 2007, a Marcha da Classe Trabalhadora traz como eixos centrais os seguintes temas:

– Redução da Jornada de Trabalho

– Mais e Melhores Empregos

– Fortalecimento da Seguridade Social e das Políticas Públicas

“A Marcha da Classe Trabalhadora já é uma tradição do sindicalismo brasileiro, pois reúne trabalhadores e trabalhadoras de todo o país, representados por seus diversos ramos e categorias. Essa grande manifestação que faremos em Brasília tem por objetivo apresentar à opinião pública e aos parlamentares a pauta de reivindicações do conjunto dos trabalhadores, cujos temas são de interesse de toda a população. Essa ação que organizamos anualmente coloca na ordem do dia a agenda dos trabalhadores e trabalhadoras para o crescimento e desenvolvimento que nosso país precisa”, diz Quintino Severo, secretário geral da CUT Nacional.

Reduzir a Jornada é gerar empregos e qualidade de vida

Um dos principais eixos da marcha deste ano é a redução de jornada de trabalho sem redução de salário, uma luta histórica da CUT. “Acreditamos que a redução de jornada de trabalho sem redução de salário é fator fundamental para a melhoria das condições de vida da classe trabalhadora, além de estimular que mais pessoas entrem para o mercado de trabalho”, afirma Quintino. Reduzir jornada é acima de tudo melhorar a qualidade de vida e é isso que queremos ter como conquista da IV Marcha dos Trabalhadores”, ressalta o secretário geral.

Pela ratificação da Convenção 158 da OIT

A convenção 158 não deixa que os patrões demitam os funcionários sem justa causa, preservando a manutenção e a estabilidade dos trabalhadores nos postos de trabalho, ou seja, combate a demissão imotivada e a rotatividade. Segundo Quintino, este é um tema importante na Marcha e está inserido no eixo ‘mais e melhores empregos’. “Com a Convenção 158 ratificada haverá mais possibilidades de melhoria da qualidade de emprego no Brasil e, consequentemente, de aumento do poder de compra dos salários. Nos últimos anos, observamos que o número de novos empregos cresceu cerca de 6 milhões, mas por outro lado, houve uma rotatividade de mais de 9 milhões de postos de trabalho. Portanto, ocorreu um achatamento na massa salarial, no poder de compra dos salários. Por isso, não temos dúvidas de que com a convenção 158 da OIT aprovada, ratificada, regulamentada no Brasil, com certeza boa parte desta rotatividade seria evitada e até mesmo eliminada. Nossa expectativa é que o encaminhamento para a ratificação e a regulamentação definitiva da convenção 158 da OIT no Brasil seja também uma importante conquista da IV Marcha da Classe Trabalhadora em Brasília no dia 5 de dezembro”, reafirma Severo.

NOTÍCIA COLHIDA NO SÍTIO www.cut.org.br.

Close