[email protected] | (41) 3322-9885 | (41) 3324-5636

Por 00:33 Sem categoria

ASSEMBLEIAS DOS TRABALHADORES BANCÁRIOS NO DIA 23 DE SETEMBRO

Sindicatos de Apucarana, Curitiba, Londrina e Umuarama e respectivas regiões já anunciaram a realização das assembleias na quarta-feira

O Comando Nacional dos Trabalhadores Bancários orienta a rejeição da proposta patronal e o início da greve no dia 24, quinta-feira.

Em Curitiba e Região, assembleia que avalia proposta sem ganho real será dia 23

Depois da negociação desta quinta-feira (17), em que os banqueiros apresentaram uma proposta de reajuste de apenas 4,5%, ou seja, sem ganho real e uma PLR rebaixada, o Sindicato dos Bancários de Curitiba e Região convoca os trabalhadores bancários para assembleia, no dia 23 de setembro, a partir das 18h30min, na quadra do Espaço Cultural e Esportivo dos Bancários (Rua Piquiri,380 – Rebouças – Curitiba).

Os dirigentes sindicais irão estimular o debate sobre a proposta econômica apresentada, ouvir as opiniões dos trabalhadores da base e votar sobre as estratégias que serão adotadas daqui para a frente na Campanha Salarial 2009. Dependendo das discussões, os trabalhadores bancários podem até mesmo deflagrar greve por tempo indeterminado. Por isso, a participação na assembleia do dia 23 é essencial para a categoria bancária.

Assembleia geral extraordinária
Dia 23 de setembro, quarta-feira
Primeira chamada: 18h30min
Segunda chamada: 19h
Local: Espaço Cultural e Esportivo dos Bancários (Rua Piquiri, 380 – Rebouças – Curitiba/PR)

NOTÍCIA COLHIDA NO SÍTIO www.bancariosdecuritiba.org.br.

====================================================

Em Apucarana e Região, assembleia acontece no dia 23

ATENÇÃO: ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA!!!

18-09-2009

Convocamos os bancários dos bancos públicos e privados, sócios e não sócios, da base territorial deste sindicato para a assembléia geral extraordinária, que se realizará dia 23/09/2009, às 19:30h, no endereço à Rua Osório Ribas de Paula nº 432, para discussão e deliberação acerca da seguinte ordem do dia:

1. Avaliação e deliberação sobre a proposta econômica apresentada pela FENABAN na negociação de 17/09/2009;

2. Deliberação acerca de paralisação por prazo indeterminado a partir da 00h00 do dia 24 de setembro de 2009.

A DIRETORIA

NOTÍCIA COLHIDA NO SÍTIO www.bancariosapucarana.com.br.

====================================================

Em Umuarama e Região, assembleia será realizada no dia 23

Edital da assembleia para decretação de greve

EDITAL ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA

Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de Umuarama, Assis Chateaubriand e Região, inscrito no CNPJ/MF sob o nº 77.552.297/0001-22, Registro sindical nº 100.541.01031-6, por seu coordenador abaixo assinado, convoca todos os empregados em estabelecimentos bancários dos bancos públicos e privados, sócios e não sócios, da base territorial deste sindicato, para a assembléia geral extraordinária que se realizará dia 23 de setembro de 2009, às 18:00h, em primeira convocação, e às 19:00h, em segunda convocação, no endereço à Rua Gov. Ney Braga nº 4431, para discussão e deliberação acerca da seguinte ordem do dia:

1. Avaliação e deliberação sobre a proposta econômica apresentada pela FENABAN na negociação de 17/09/2009;

2. Deliberação acerca de paralisação por prazo indeterminado a partir da 00h00 do dia 24 de setembro de 2009.

Umuarama, 18 de setembro de 2009

Juraci Batista de Araujo
Coordenador

===============================================

AVISO DE GREVE

SINDICATO DOS EMPREGADOS EM ESTABELECIMENTOS BANCÁRIOS DE UMUARAMA, ASSIS CHATEAUBRIAND E REGIÃO, por seu Coordenador, para cumprimento das exigências contidas na Lei nº 7.783/89, avisa a todas as Instituições Financeiras públicas e privadas, usuários de seus serviços e a população em geral, que os empregados pertencentes à categoria bancária estarão realizando assembléia geral extraordinária no próximo dia 23 de setembro de 2009 para deliberar, dentre outras coisas, sobre a deflagração de greve por prazo indeterminado a partir das 00:00 hora do dia 24 de setembro de 2009.

Umurama, 18 de setembro de 2009

Juraci Batista de Araujo
Coordenador

NOTÍCIAS COLHIDAS NO SÍTIO www.bancariosdeumuarama.org.br.

==================================================

Em Londrina e Região, a ssembeleia é no dia 23, às 19h30min, na sede APP- Sindicato

Proposta rebaixada dos bancos pode resultar em greve dos bancários a partir do dia 24

A Fenaban (Federação Nacional dos Bancos) ofereceu ontem (17/09), durante rodada de negociação com o Comando Nacional dos Bancários, realizada em São Paulo, um reajuste de 4,5% para a categoria. Como este percentual representa apenas a reposição das perdas acumuladas nos últimos 12 meses, os dirigentes sindicais rejeitaram a proposta, fazendo valer a Minuta de reivindicações dos trabalhadores do setor, que pleiteiam 10% de reajuste.

Na reunião, os representantes dos bancos afirmaram que o cenário atual da economia não possibilita a concessão de aumento real, como vinha sendo negociado com a categoria nos últimos anos. Além disso, a Fenaban apresentou um modelo para a PLR (Participação nos Lucros e Resultados) que acarretará no pagamento aos bancários de um valor inferior ao que foi recebido no ano passado. “Essa proposta é inaceitável”, avalia Wanderley Crivellari, diretor-presidente do Sindicato dos Bancários de Londrina e Região.

De acordo com ele, a categoria já estava negociando com os bancos, antes mesmo do início da Campanha Salarial deste ano, um modelo de PLR que contemplasse os bancários com valores superiores aos que foram pagos em 2008. “Os bancos não têm como esconder seus lucros astronômicos, basta ver os resultados dos balanços do primeiro semestre deste ano”, argumenta o sindicalista, afirmando que a categoria não abre mão do aumento real de salários e de uma PLR maior.

Para pressionar os bancos a reverem essa posição, Sindicatos de Bancários de todo o País realizarão Assembleias no próximo dia 23, à noite, para deliberar a respeito do indicativo de Greve orientado pelo Comando Nacional. “Caso a Fenaban não apresente os avanços pretendidos, a partir da zero hora do dia 24 vamos deflagrar greve por tempo indeterminado”, avisa Wanderley, lembrando que é dessa forma que os bancários acabam conseguindo “sensibilizar” os banqueiros a respeito das reais necessidades da categoria.

A Assembléia para analisar as negociações e deliberar sobre o indicativo de greve a partir do dia 24 de setembro será realizada no auditório da APP-Sindicato, em Londrina, às 19h30min.

Os bancários reivindicam reajuste de 10%, PLR (Participação nos Lucros e Resultados) de três salários mais R$ 3.850,00, aumento nos valores dos pisos, contratação da Remuneração Total, Plano de Cargos e Salários em todos os bancos, redução das taxas de juros, contratação de mais funcionários, fim das metas abusivas e do assédio moral.

Fonte: Sindicato dos Bancários de Londrina e Região.

==================================================

AGUARDE A ATUALIZAÇÃO DESTAS INFORMAÇÕES PARA SABER AS DATAS E LOCAIS DAS ASSEMBLEIAS NAS BASES SINDICAIS DE ARAPOTI, CAMPO MOURÃO, CORNÉLIO PROCÓPIO, GUARAPUAVA, PARANAVAÍ, TOLEDO E RESPECTIVAS REGIÕES.

==================================================

Em Brasília, trabalhadores bancários já votaram o indicativo de greve

Bancários rejeitam proposta da Fenaban e aprovam indicativo de greve a partir do dia 24

Reunidos em assembleia na noite desta sexta-feira 18, no Setor Bancário Sul, os bancários rejeitaram a proposta rebaixada da Fenaban e aprovaram o indicativo de greve a partir da quinta-feira da próxima semana, dia 24, conforme orientação do Comando Nacional. Nova assembleia está marcada para o dia 23. Caso até lá os banqueiros não melhorem a proposta, os trabalhadores ratificarão a deliberação desta sexta e cruzarão os braços.

Aguarde mais informações.

NOTÍCIA COLHIDA NO SÍTIO www.bancariosdf.com.br.

=====================================================

Comando Nacional rejeita proposta da Fenaban e orienta greve a partir do dia 24

O Comando Nacional dos Bancários rejeitou já na mesa de negociação a proposta rebaixada e insuficiente apresentada pela Fenaban nesta quinta-feira 17, uma vez que ela não contempla as principais reivindicações da categoria. Os bancos propuseram a reposição da inflação (4,5% de reajuste), uma PLR inferior à do ano passado, nenhuma valorização dos pisos salariais e nem proteção aos empregos. Eles também negaram auxílio-educação e querem reduzir o auxílio-creche/babá de 83 para 71 meses.

Reunido após a negociação, o Comando Nacional decidiu encaminhar documento à Fenaban comunicando a rejeição da proposta e solicitando que apresentem nova proposta aos bancários até a próxima quarta-feira, 23, para ser avaliada nas assembléias de todo o país. Caso os bancos mantenham esta proposta rebaixada, o Comando orientará a deflagração de greve nacional por tempo indeterminado, em todos os bancos, a partir da quinta-feira dia 24.

“No momento em que vários setores da economia estão fechando acordos com aumento real de salário, é inaceitável que os bancos, os que mais lucraram no primeiro semestre, ofereçam apenas a reposição da inflação e uma PLR que é menor do que os bancários receberam no ano passado”, afirma Carlos Cordeiro, presidente da Contraf-CUT e coordenador do Comando Nacional. “Além disso, os bancários deixaram claro à Fenaban que um acordo este ano passa por garantias de emprego, valorização dos pisos salariais e implementação de políticas que melhorem as condições de trabalho e de saúde, o que inclui o combate ao assédio moral e o fim das metas abusivas.”

Apesar de rebaixada e insuficiente, a proposta da Fenaban apresenta dois avanços: ampliação da licença-maternidade de 180 dias e a isonomia de tratamento para homoafetivos, com a possibilidade de incluir parceiros do mesmo sexo nos planos de saúde. Os bancos também prometeram o agendamento de reuniões das comissões bipartites de saúde e de segurança.

A Fenaban reafirmou o programa de reabilitação profissional e uma política de prevenção de conflitos no ambiente de trabalho, cuja redação não atende as reivindicações dos bancários. Os banqueiros reiteraram também a proposta de alteração da cláusula de estabilidade pré-aposentadoria, a exemplo do ano passado, o que é inaceitável.

No entanto, os bancos aceitam a inclusão de uma cláusula na convenção coletiva sobre o programa de valorização da diversidade, mas não entregaram a sua redação.

A proposta dos patrões banqueiros apresentada pela Fenaban:

Reajuste: 4,5%.

PLR

a) Parcela em número de salários: 1,5 salário reajustado limitado ao valor individual de R$ 10.000 e limitado a 4% do lucro líquido de 2009, o que ocorrer primeiro.

b) Parcela linear: 1,5% do lucro líquido, distribuído linearmente, limitado ao valor individual de R$ 1.500,00.

Condições: Os bancos que tiverem prejuízo em 2009 não pagarão PLR. O valor poderá ser compensado dos planos próprios de participação em lucros ou resultados.

Salário de ingresso

Portaria: R$ 673,71.
Escritório: R$ 966,20.
Caixa: R$ 1.252,03.

Salário após 90 dias
Portaria: R$ 738,00.
Escritório: R$ 1.059,25.
Caixa: R$ 1.480,24.

Anuênio: R$ 16,35.
Gratificação de compensador de cheques: R$ 93,13.
Auxílio refeição: R$ 16,63.
Auxílio cesta-alimentação: R$ 285,21.
13ª cesta-alimentação: R$ 285,21.
Auxílio-creche/babá: R$ 285,00 (até 71 meses).
Auxílio-funeral: R$ 549,89.
Ajuda de deslocamento noturno: R$ 57,39.
Indenização por morte ou incapacidade decorrente de assalto: R$ 81.998,61.
Requalificação profissional: R$ 819,52.

Confira as principais reivindicações dos trabalhadores bancários:

– Reajuste salarial de 10% (reposição da inflação mais aumento real).

– Participação nos Lucros e Resultados (PLR) de três salários mais R$ 3.850.

– Valorização dos pisos:

Portaria: R$ 1.432.
Escriturário: R$ 2.047 (salário mínimo do Dieese).
Caixa: R$ 2.763,45.
Primeiro comissionado: R$ 3.477,00.
Primeiro gerente: R$4. 605,73.

– Auxílio-refeição: R$ 19,25.

– Cesta-alimentação: R$ 465,00 (um salário mínimo).

– 13ª cesta-alimentação: R$ 465,00.

– Auxílio-creche/babá: R$ 465,00.

– Fim das metas abusivas e do assédio moral.

– Plano de Carreira, Cargos e Salários (PCCS) em todos os bancos, negociado com as entidades sindicais.

– Contratação da remuneração total, inclusive a parte variável, com a incorporação dos valores aos salários e reflexo em todos os direitos (13º, férias e aposentadoria) – com o objetivo de acabar com as metas abusivas.

– Garantia de emprego, fim das terceirizações, mais contratações e aplicação da Convenção 158 da Organização Internacional do Trabalho (OIT), que inibe demissões imotivadas.

– Segurança contra assaltos e sequestros, com a retomada imediata da Comissão de Segurança Bancária, proibição ao transporte de valores pelos bancários e adicional de risco de vida.

– Auxílio-educação para todos.

– Ampliação da licença-maternidade para seis meses.

– Planos de previdência complementar para todos os bancários.

Fonte: Contraf-CUT.

============================================

Bancos querem aumentar seus lucros reduzindo a PLR dos bancários

A proposta apresentada pela Fenaban na negociação da quinta-feira 17 é pior que a do ano passado e esconde uma manobra dos bancos de reduzir a distribuição da PLR para aumentar seus lucros, que no primeiro semestre de 2009 atingiram R$ 19,3 bilhões, os maiores de todos os setores da economia. Entenda por que a proposta embute essa armadilha:

1. A PLR do ano passado foi de 90% do salário mais R$ 966, limitado a R$ 6.301. Se o total pago de PLR ficou menor que 5% do lucro líquido, o pagamento foi majorado até chegar a 2,2 salários, com teto de R$ 13.862. Além disso, dependendo do crescimento do lucro líquido de 2007 a 2008, o bancário recebeu o valor adicional de até R$ 1.980.

2. A proposta da Fenaban para este ano é: a) pagamento de 1,5 salário até R$ 10 mil, limitado a 4% do lucro líquido do ano de 2009; b) mais parcela linear de 1,5% do lucro líquido, limitado a R$ 1.500 – com desconto do programa próprio do banco, onde houver.

Isso significa que os bancos querem pagar de PLR este ano no máximo 5,5% do seu lucro líquido, enquanto pela fórmula do ano passado o limite foi de 15% do lucro líquido. “Como se vê, o que os bancos estão propondo é reduzir a PLR para aumentar seus lucros à custa do trabalho dos bancários. Por isso a proposta é inaceitável e a categoria vai à greve a partir do dia 24 se a Fenaban não mudar”, afirma Carlos Cordeiro, presidente da Contraf-CUT e coordenador do Comando Nacional dos Bancários.

Além disso, a proposta de PLR da Fenaban tem os seguintes problemas:

– Reduz o teto de distribuição de 2,2 salários para 1,5 salário;
– Diminui o limite de pagamento de R$ 13.862 para R$ 10.000;
– O valor adicional que no ano passado podia chegar até R$ 1.980, com a mudança para parcela linear pode atingir no máximo R$ 1.500.
– O valor adicional do ano passado ficou acima dos tetos e sem desconto dos programas próprios. Com a atual proposta, passa a haver o desconto.

Fonte: Contraf-CUT.

NOTÍCIAS COLHIDAS NO SÍTIO www.contrafcut.org.br.

Close