[email protected] | (41) 3322-9885 | (41) 3324-5636

Por 22:12 Sem categoria

PT 31 anos: no caminho da fraternidade, da liberdade e da igualdade

O Brasil será, em breve, uma das maiores potências do mundo, com diferenciais como ser comprometido com a paz, com o desenvolvimento econômico, com a distribuição de renda, e com a erradicação da pobreza em todo o planeta. E o PT é fundamental nessa história. Com essas palavras, e o orgulho de fazer parte do PT, o líder do governo na Câmara, deputado Cândido Vaccarezza, de São Paulo, comemora o aniversário de 31 anos do Partido.

Vaccarezza caracteriza o PT como o construtor de uma sociedade baseada na fraternidade, na liberdade e na igualdade. “Esse é o caminho para a construção do socialismo democrático, não as visões autoritárias de socialismo. Mas também não caímos no engodo de uma sociedade dividida em classes”, esclarece o parlamentar.

O deputado afirma que o PT já marcou definitivamente a história do Brasil e agora é um exemplo para a esquerda mundial, “um mundo em que todos tenham trabalho, dignidade e boa qualidade de vida”.

(Chico Daniel – Portal do PT)

============================

PT 31 anos: Berzoini destaca redução da desigualdade social e a força da militância

Na próxima quinta-feira (10), o PT comemora 31 anos de fundação, com uma marca histórica: um partido de esquerda que conquistou democraticamente a presidência da república por três vezes consecutivas. Entre as principais ações, o ex-presidente do partido, deputado Ricardo Berzoini (SP) destaca a redução da desigualdade social e a força da militância.

“O PT surgiu como um partido da esquerda brasileira com um projeto novo de organização, com uma visão de renovação da política brasileira, e ao longo desse período acumulou força suficiente para, não só se tornar um partido importante, mas uma alternativa real de poder. E no plano nacional, especialmente, nós rapidamente alçamos a condição de um partido que representa uma série de demandas populares por democracia, por descentralização econômica, orçamentária e, principalmente, pela redução da desigualdade social. Então podemos comemorar esses 31 anos com a certeza de que a caminhada até aqui foi vitoriosa, mas sem esquecer que ainda temos muito a fazer”.

A consolidação de um projeto político diferenciado para o País é uma conquista da militância do PT, que sempre foi a alma e razão do partido existir, afirma o ex-presidente Berzoini, que acredita na importância de cuidar dos petistas. “O nosso desafio é não descuidar dessa militância, é cuidar da democracia interna, dos mecanismos de decisão política pela base do partido e o fortalecimento da nossa relação com a sociedade civil”.

Para o deputado, um dos momentos mais marcantes de sua luta no partido foi no enfrentamento da crise política de 2005. Berzoini era na época o presidente do PT. “É claro que a eleição do Lula foi muito importante, uma grande vitória, mas a reeleição dele marcou pela circunstancia da crise política, pela maneira como enfrentamos o momento, as dificuldades que o partido passou. Acho que talvez um momento de afirmação, de satisfação pessoal, tenha sido poder comemorar a reeleição do Lula”.

Berzoini diz que o partido ainda tem uma grande luta pela frente e muitos desafios precisam ser superados ao longo dos anos, porém as expectativas são otimistas. “Precisamos consolidar a visão sobre como praticar política democrática dentro do partido e aprofundar a trajetória que levou a redução das desigualdades sociais e regionais, que construiu um novo projeto de desenvolvimento nacional com inclusão social. Esse é um projeto que pretende incluir os brasileiros num sentimento de consciência ambiental e social com a perspectiva de construir uma nação justa e democrática”.

(Janary Damacena – Portal PT)

RádioPT – Clique aqui e ouça a entrevista completa com Ricardo Berzoini

========================

PT, 31 anos de bom combate

O PT chega aos 31 anos neste dia 10 de fevereiro com bons motivos para comemorar. Nascido da luta operária do ABC paulista por melhores salários e condições de trabalho, no bojo da redemocratização do Brasil e ascensão dos movimentos populares, o PT cresceu embalado no sonho que uniu trabalhadores, classe média, estudantes e intelectuais de transformar o Brasil na terra da oportunidade para todos.

O caminho não foi fácil. Vencer os obstáculos só foi possível pela força da nossa militância. Os petistas nunca tiveram medo nem preguiça para sair às ruas, seja para pedir voto, vender uma camiseta, um boton ou defender uma concepção de sociedade, protestar, gritar por democracia.

A força da militância foi um símbolo do PT na defesa das eleições diretas para presidente da República, na democratização do poder com a participação popular, direitos iguais para negros, mulheres, homossexuais, entre tantas outras. Plantamos sementes em todo o Brasil e ajudamos a consolidar a jovem democracia do País.

Hoje, o sonho de fazer política em benefício de todos é uma realidade. Depois de administrar pequenos e grandes municípios, incluindo capitais como São Paulo, e governar estados com novos conceitos de gestão, o PT chegou à Presidência da República. A vitória do metalúrgico Luís Inácio Lula da Silva foi, também, mais uma demonstração da força e da perseverança de um homem obstinado e de um partido sustentado pelo desmedido comprometimento de sua militância com um projeto de desenvolvimento nacional.

Em oito anos de governo Lula, o PT criou programas e projetos que estão mudando significativamente a “cara do Brasil”. Tanto que a própria oposição reconhece os avanços. O PT soube aliar equilíbrio financeiro com ampliação da oferta de serviços públicos à população e, ao mesmo tempo, pôr em prática uma política de investimentos que tirou do discurso o potencial econômico do país sem descuidar do respeito ao meio ambiente. O Brasil não é mais o país do futuro, ele é o país do presente.

Mesmo os críticos não podem negar a geração de mais de 16 milhões de empregos com carteira assinada, a retirada de mais de 24 milhões de pessoas da miséria, os investimentos em infraestrutura por meio do PAC, entre outros.

Nesta quinta-feira, o PT homenageia o ex-presidente Lula, agora, presidente de honra do partido. Nada mais justo, por tudo que Lula representa. Um retirante nordestino que enfrentou e venceu a miséria e o preconceito para se transformar num dos principais líderes políticos mundiais. Alguém que, sem formação acadêmica, deu uma lição de como governar, mostrando que é possível ao país crescer distribuindo renda e reduzindo as desigualdades sociais.

O próprio Lula, entretanto, sabe que ainda há muito que fazer, a começar pelas reformas política e tributária. Assim, já se colocou a campo na defesa dessas mudanças tão importantes para que o país siga avançando e se consolide como uma nova potência mundial na qual a população viva satisfeita e feliz.

A presidenta Dilma Roussef compartilha desse entendimento e vem trabalhando para garantir as reformas no Congresso. O PT pode ser um formulador de novas bandeiras, do resgate da simbologia e dos valores do socialismo, para mostrar ao mundo que é possível gerar riquezas respeitando o meio ambiente, os trabalhadores, e erradicando a miséria. É utopia? Não sei. Mas foi pelas utopias que o PT combateu o bom combate.

Edinho Silva é presidente do PT do estado de São Paulo, deputado estadual e ex-prefeito de Araraquara (2001-2008).

NOTÍCIAS E ARTIGO COLHIDOS NO SÍTIO www.pt.org.br.

Close