[email protected] | (41) 3322-9885 | (41) 3324-5636

Por 09:48 Sem categoria

Médicos dos planos afirmam que reajustes são irrisórios perto dos aumentos das mensalidades

Os médicos dos planos de saúde divulgaram, segunda-feira, Carta Aberta à População relatando a difícil situação dos profissionais da área, que no próximo dia 7 de abril, irão realizar o Dia Nacional de Paralisação do Atendimento aos Planos de Saúde.

“Trata-se de um ato em defesa da saúde suplementar, da prática segura e eficaz da medicina e, especialmente, por mais qualidade na assistência prestada aos cidadãos”, afirma o documento, assinado pela Associação Médica Brasileira (AMB), Conselho Federal de Medicina (CFM), Federação Nacional dos Médicos (Fenam).

Na Carta, os médicos denunciam que “nos últimos dez anos, os reajustes dos honorários médicos foram irrisórios, enquanto os planos aumentaram suas mensalidades bem acima da inflação”. “Além dos reajustes insuficientes, muito abai-xo da inflação nos últimos dez anos, há interferência na autonomia do médico e os contratos são irregulares, sem cláusulas de periodicidade e critérios de reajustes, contrariando determinação de 2004 da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS)”.

Os médicos ressaltam ainda que os planos de saúde interferem no trabalho criando obstáculos para a solicitação de exames e internações, pressionam a redução de procedimentos e antecipação de altas. Para a categoria, esta é uma situação insustentável, “com riscos de sérios prejuízos à saúde e à vida daqueles que decidiram adquirir um plano de saúde”. É preciso que os planos atendam às reivindicações, “estabeleçam regras contratuais claras que respeitem a autonomia do médico e definam critérios e periodicidade”, diz o documento.

Diversos conselhos e sindicatos de áreas específicas também participam do movimento. Durante a paralisação, os casos de urgência e emergências serão atendidos. Em Carta Aberta aos médicos, as entidades solicitam a convocação de assembléias estaduais específicas e sugerem que “as Comissões Estaduais, compostas pelas Associações Médicas, Conselhos Regionais de Medicina, Sindicatos Médicos e Sociedades Estaduais de Especialidades concluam, até o final de março, uma avaliação da situação econômica com levantamento dos valores pagos pelos planos de saúde que atuam no Estado”, no intuito de já elaborar as metas para a Campanha Salarial 2011.

NOTÍCIA COLHIDA NO SÍTIO www.horadopovo.com.br

Close