[email protected] | (41) 3322-9885 | (41) 3324-5636

Por 08:55 Sem categoria

Trabalhadores paranaenses lutam pelas 6 horas no BB

Trabalhadores bancários cobram mais respeito do Banco do Brasil

O Sindicato dos Bancários de Londrina e Região realizou ontem (28/03) mais um protesto em frente ao prédio central do Banco do Brasil, acompanhando as atividades em todo o País que cobram do banco o cumprimento da jornada legal de 6 horas, além de melhorias no Plano de Carreira e o fim do assédio moral, decorrente da cobrança de metas.

Queremos que o BB respeite e valorize seus funcionários. E isso pode começar pelo respeito à jornada de 6 horas para todos”, ressalta Gisa Bisotto, secretária geral do Sindicato e funcionária do BB.

Apesar da pressão do movimento sindical, a direção banco continua a ignorar a jornada legal de 6 horas e segue sem apresentar proposta sobre o tema. “Além disso, o programa de metas do BB mostra-se insuportável, acabando com a solidariedade entre os funcionários a partir do momento que individualiza as metas, gerando uma pressão absurda, aliada à sobrecarga de trabalho devido à falta de pessoal”, acrescenta.

A atividade desta quarta foi marcada pelo uso da cor preta, em protesto contra a postura intransigente do BB, e contou com uma intervenção teatral representando a disparidade entre o lucro do banco e o respeito que a instituição tem com os seus trabalhadores.

Jornal do Cliente – O Sindicato lançou no ato deste dia 28/03 o Jornal do Cliente 2012, publicação voltada aos clientes e usuários de bancos. O Jornal cobra mais contratações nas instituições financeiras, relata as propostas do movimento sindical para melhorar o atendimento nas agências bancárias, informa os canais de reclamação que a população deve utilizar e ressalta a necessidade de regulamentação do Sistema Financeiro.

Melhorar as condições de trabalho e de atendimento nos bancos é uma luta constante do Sindicato. Com os lucros bilionários que apresentam, não tem como nenhum banco justificar a falta de funcionários e o atendimento precário. É preciso que a sociedade cobre urgentemente a regulamentação do artigo 192 da Constituição para regrar os bancos no País”, avalia Wanderley Crivellari, presidente do Sindicato de Londrina.

CASSI – Os Sindicatos do VIDA BANCÁRIA apoiam a Chapa 1 – Cuidando da Cassi, nas eleições para a caixa de assistência que se iniciam no próximo dia 2 de abril.

NOTÍCIA COLHIDA NO SÍTIO www.vidabancaria.com.br

==========================

Dia Nacional de Lutas mobiliza bancários no BB

BANCÁRIOS QUEREM O CUMPRIMENTO DA JORNADA LEGAL DE SEIS HORAS

Nesta quarta-feira, 28 de março, ocorreu em todo o país mais uma mobilização dos funcionários do Banco do Brasil pelo cumprimento da jornada legal de seis horas. No Dia Nacional de Lutas, os bancários vestiram preto para trabalhar.

O Sindicato dos Bancários de Curitiba e região realizou ato na Central de Atendimento (CABB), em São José dos Pinhais, com reuniões nos locais de trabalho. “Na CABB a manifestação foi um ato de solidariedade, de luta por um plano de carreiras para todos”, avalia Ana Smolka, representante do Paraná na Comissão de Empregados do Banco do Brasil.

Na Central de Atendimento, grande parte dos trabalhadores já recebe a 7ª e 8ª horas como extras, devido a ações judiciais pelo cumprimento da jornada legal de seis horas.

Os bancários vestiram preto para participar do Dia Nacional de Lutas também em agências e demais centros administrativos.

A manifestação pela jornada legal de seis horas, com os trabalhadores vestindo preto no Dia Nacional de Lutas também ocorreu no dia 07 de março. Acesse aqui as informações.

Outras reivindicações – A pauta permanente de reivindicações dos bancários inclui melhorias no Plano de Carreira, fim do assédio moral, melhores condições de trabalho e atendimento aos clientes, extensão do direito à Cassi e Previ para todos os bancários de bancos incorporados.

Por: Paula Padilha

NOTÍCIA COLHIDA NO SÍTIO www.bancariosdecuritiba.org.br

==================================

Sindicatos do Pactu participaram das mobilizações pela jornada de seis horas no Banco do Brasil

Nesta quarta-feira, 28/03, os sindicatos de bancários do Pactu, em conjunto com sindicatos de bancários da CUT de todo o Brasil, realizaram manifestações nas agências do Banco do Brasil. A jornada de lutas, liderada pela Contraf-CUT (Confederação Nacional dos Bancários da CUT), tem o objetivo de pressionar o Banco do Brasil a apresentar uma proposta para a implementação de jornada legal de seis horas.

“A jornada de seis horas para os bancários está normatizada na CLT desde sua promulgação, em 1943. Com o passar dos anos, os bancos criaram mecanismos para tentar burlar este direito da categoria, principalmente através dos “cargos comissionados”, obrigando os bancários a cumprirem jornada de oito horas”, esclareceu Luiz Marcelo Legnani, presidente do Sindicato dos Bancários de Campo Mourão e funcionário do Banco do Brasil.

Em 2011, ao final da greve, uma das conquistas dos funcionários do Banco do Brasil foi o compromisso da direção do banco de apresentação de uma proposta, no início de 2012, para a regularização da jornada de trabalho no banco. Porém, após duas reuniões de negociação, o BB não apresentou nenhum proposta até o momento.

Em função disto, o movimento sindical bancário ligado à CUT realizou nesta quarta, 28/03, a segunda manifestação em menos de 30 dias. A primeira aconteceu em 07/03. Com a distribuição de panfletos aos clientes e usuários e afixação de faixas com frases de protesto, e até mesmo de faixas de luto, indicando a indignação dos funcionários com o descaso do banco, os sindicatos do Pactu se somaram aos grandes sindicatos do país neste dia de manifestações.

NOTÍCIA COLHIDA NO SÍTIO www.pactu.org.br

Close