[email protected] | (41) 3322-9885 | (41) 3324-5636

Por 10:45 Sem categoria

Manutenção da PLR Social é uma das prioridades dos empregados da Caixa

Caixa 100% pública e PLR Social andam juntas. No entanto, em comunicado interno, o banco ignorou essa conquista de 2010, que valoriza o trabalho feito em programas sociais

Conquista dos empregados da Caixa Econômica Federal na Campanha Nacional Unificada de 2010, a PLR Social é uma forma de valorizar os trabalhadores por tarefas relacionadas com programas sociais do governo federal operacionalizados pelo banco público. Entretanto, a não menção da PLR Social em comunicado interno enviado aos empregados, quando da primeira proposta da Fenaban, preocupou os bancários quanto a sua continuidade.

Essa postura é uma das razões que tem levado os empregados a fortalecer a greve, que completa nove dias nesta quarta-feira (14). “A PLR Social anda de mãos dadas com o papel social da Caixa. Qualquer comparação da rentabilidade com bancos privados acaba por ser uma defesa da sua privatização, uma vez que a instituição é responsável por diversos programas sociais do governo federal. Defender a Caixa 100% pública é fazer a defesa também da PLR Social. Os trabalhadores não aceitarão rever esta conquista, um direito adquirido”, relata o coordenador da Comissão Executiva dos Empregados (CEE/Caixa), Dionísio Reis.

Jair Pedro Ferreira, presidente da Fenae, lembra que é preciso valorizar as conquistas históricas da categoria. “A PLR como se conhece hoje foi conquistada em 2003. Antes, o que existia na Caixa era a chamada PRX, um plano atrelado ao cumprimento de metas, que deixava a maioria dos trabalhadores sem receber nada. Já a PLR Social é uma forma de reconhecer o esforço e a dedicação de todos os empregados, sem diferenciação, que se tornaram essenciais para o sucesso de programas sociais como Bolsa Família e Minha Casa, Minha Vida”, diz.

A PLR Social garante a distribuição do equivalente a 4% do lucro líquido da Caixa, de forma linear para todos os empregados. Ano após ano, graças à mobilização dos bancários, ela tem sido garantida. “É por isso que, mais uma vez, a mobilização dos empregados será fundamental para mantermos essa e outras conquistas”, finaliza Jair Pedro Ferreira.

Fonte: Fenae com Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Regiões
Close