[email protected] | (41) 3322-9885 | (41) 3324-5636

Por 09:56 Sem categoria

CEBs do estado de São Paulo declaram apoio à Greve Geral

Nosso grito profético e ação permanente é contra as reformas da Previdência Social e trabalhista apresentadas pelo governo golpista de Michel Temer

27/04/2017

Divulgação

DivulgaçãoAs Comunidades Eclesiais de Bases do Estado de São Paulo, por meio de sua coordenação colegiada, divulgaram nesta quarta-feira (26) uma nota em apoio à Greve Geral, convocada pelas centrais sindicais e pelas frentes Povo Sem Medo e Brasil Popular para sexta-feira (28).

Na nota, as CEBs declaram que seu “grito profético” e “ação permanente” é “contra as reformas da Previdência Social e trabalhista apresentadas pelo governo golpista de Michel Temer e em tramitação num Congresso Nacional igualmente golpista e insensível ao sofrimento do(a)s trabalhadore(a)s” e justificam sua posição com um trecho da encíclica Evangelii Gaudium, do Papa Francisco, onde se lê que “ninguém pode exigir de nós que releguemos a religião a uma intimidade secreta das pessoas, sem qualquer influência na vida social e nacional, sem nos preocupar com a saúde das instituições da sociedade civil, sem nos pronunciar sobre os acontecimentos que interessam aos cidadãos” (EG, 183).

O texto é encerrado com um trecho de uma nota proferida pelo Conselho Permanente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) de 2016 que alerta que “vivemos uma profunda crise política, econômica e institucional que tem como pano de fundo a ausência de referenciais éticos e morais, pilares para a vida e organização de toda a sociedade. A busca de respostas pede discernimento, com serenidade e responsabilidade. Importante se faz reafirmar que qualquer solução que atenda à lógica do mercado e aos interesses partidários antes que às necessidades do povo, especialmente dos mais pobres, nega a ética e se desvia do caminho da justiça”.

Leia abaixo a íntegra da nota.

NOTA DE APOIO DAS COMUNIDADES ECLESIAIS DE BASE DO ESTADO DE SÃO PAULO À GREVE GERAL DE 28/04/2017

“O fruto da justiça é semeado na paz,
para aqueles que promovem a paz” (Tg 3,18).

Nós, representantes das Comunidades Eclesiais de Base do Estado de São Paulo, membros da Colegiada Estadual, em comunhão com centenas de irmãos e irmãs da caminhada das CEBs em SP e no Brasil e com nossos Bispos reunidos na 55ª Assembleia Geral da CNBB, no seguimento a Jesus de Nazaré que Nele “o nosso povo brasileiro tenha vida neste tempo tão desafiador de crise política e econômica” MANIFESTAMOS NOSSA ADESÃO E APOIO INCONDICIONAL À GREVE GERAL convocada pelos Movimentos Sociais e Sindicatos de todo o Brasil para a próxima sexta-feira, dia 28 de abril.

Nosso GRITO PROFÉTICO E NOSSA AÇÃO PERMANENTE contra as reformas da Previdência Social e trabalhista apresentadas pelo governo golpista de Michel Temer e em tramitação num Congresso Nacional igualmente golpista e insensível ao sofrimento do(a)s trabalhadore(a)s.

Nesse espírito de solidariedade a toda a classe trabalhadora, fazemos nossa, às palavras do Papa Francisco: “ninguém pode exigir de nós que releguemos a religião a uma intimidade secreta das pessoas, sem qualquer influência na vida social e nacional, sem nos preocupar com a saúde das instituições da sociedade civil, sem nos pronunciar sobre os acontecimentos que interessam aos cidadãos” (EG, 183).

Ainda, reiteramos aqui as palavras dos bispos do Conselho Permanente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil em 2016, que em nota da CNBB disseram, entre outras coisas:

“Vivemos uma profunda crise política, econômica e institucional que tem como pano de fundo a ausência de referenciais éticos e morais, pilares para a vida e organização de toda a sociedade. A busca de respostas pede discernimento, com serenidade e responsabilidade. Importante se faz reafirmar que qualquer solução que atenda à lógica do mercado e aos interesses partidários antes que às necessidades do povo, especialmente dos mais pobres, nega a ética e se desvia do caminho da justiça”.

COLEGIADA ESTADUAL DAS CEBs DO REGIONAL SUL-1 DA CNBB, 26/04/2017.

CEBs CNBB Sul1

Fonte: Contraf-CUT

Close