[email protected] | (41) 3322-9885 | (41) 3324-5636

Por 11:26 Sem categoria

23.ª Conferência Estadual dos Bancários debate a situação do país

A Federação dos Trabalhadores em Empresas de Crédito do Paraná (Fetec-CUT-PR) promoveu no sábado (21) a 23.ª Conferência Estadual dos Bancários. O evento foi realizado de forma totalmente online por conta da pandemia de Covid-19 e reuniu cerca de 200 participantes.

Este ano a conferência não discutiu questões específicas do ramo, uma vez que não há campanha salarial por conta do acordo válido por dois anos 2020/2021, assinado no ano passado. Porém, o evento abordou assuntos de interesse da categoria e discutiu em como o atual governo federal vem prejudicando as trabalhadoras e trabalhadores com políticas, principalmente a MP 1045, também chamada de MP da Escravidão, que cria uma sub categoria de trabalhadores e também afeta a categoria bancária.

Em seguida, o secretário de bancos públicos da Fetec, Zelário Bremm, leu o regimento, que foi aprovado por 99% dos participantes.

MP 1045 traz sérios prejuízos para as trabalhadoras e trabalhadores

A presidenta da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro da CUT (Contraf-CUT), Juvandia Moreira, elogiou o encontro e ressalta as críticas contra o atual governo federal. “Vivemos um momento muito ruim, com a volta da fome, aumento do desemprego, pandemia, entre outros. O governo quer entregar de bandeja o patrimônio público e atacar os direitos dos trabalhadores com a MP 1045. Nós temos que seguir resistindo e eleger um governo democrático e representantes no congresso que atendam os interesses do povo.  “, disse.

O presidente da Central Única dos Trabalhadores do Paraná (CUT-PR), Marcio Kieller, também discursou no evento. “É sempre bom ver estas ações que mobilizam os trabalhadores. Devemos seguir com a luta de defender bancos e empresas públicas e se posicionar sempre contra os desmandos do presidente que está lá”.

A MP 1045 foi a principal crítica feita pelo presidente da Fetec, Deonísio Schmidt. Ele ressalta o quão prejudicial será se esta medida for de fato confirmada. “Não esperaríamos menos de um governo que age contra os trabalhadores e trabalhadoras. A MP 1045  não gera emprego, não gera proteção e ataca nossa categoria. Acredito que os banqueiros estejam por trás deste ataque. Precisamos resistir e seguir lutando contra este governo que adota uma necropolítica que prejudica a todos. Faço questão ainda de citar os deputados que se posicionaram contra os trabalhadores (ver a lista mais abaixo)”, conta.

“Bolsonaro não passa de um animador de picadeiro”

O primeiro convidado da conferência a discursar foi o ex-governador e ex-senador Roberto Requião (sem partido). Ele trouxe dados históricos sobre o atual momento no Brasil e no mundo e disse o que espera para o futuro. “Bolsonaro não passa de um animador de picadeiro e Paulo Guedes é um funcionário a serviço do capital financeiro. Não tem como dar certo com estes dois. As medidas feitas por eles não trouxeram benefício algum para a população. Espero que o próximo presidente se comprometa a revogar todo o mal que esta dupla está fazendo, que mantenha um agronegócio que produza empregos e alimente a população”, salienta.

Análise econômica

O economista do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), Sandro Silva, trouxe aos participantes números que comprovam o quanto o desgoverno Bolsonaro. “Desde o golpe que derrubou Dilma Roussef em 2016, os trabalhadores vêm perdendo direitos. A reforma trabalhista trouxe muitos prejuízos e agora com essa MP 1045 a situação tende a piorar. A Lava Jato impactou de maneira negativa na política e economia do Brasil. Estamos com inflação alta que não é de demanda, mas sim  de oferta, pois as empresas estão ofertando cada vez menos produtos. Todas as medidas que estavam claras que não dariam certo o atual governo abraçou. Até julho, 82% das categorias ou acertaram abaixo da inflação ou no valor da inflação. Daí a importância de ter feito este acordo de dois anos, como a categoria bancária fez. Infelizmente, enquanto continuar assim, a situação é de piorar cada vez mais”, prevê.

Guerrilha nas redes sociais

O último convidado a falar foi o jornalista Rafael Caliari, que trouxe para a mesa o debate “Mídias sociais como ferramentas de luta”. Ele mostrou a importância de se usar essa ferramenta. “Infelizmente, a direita está muito à frente da esquerda neste quesito. Eles estão sabendo usar as redes sociais com maestria, fazendo com que o povo aceite ideias que claramente os prejudica. É preciso virar este jogo e partir também para cima neste meio. As ruas são nossas, mas temos que conquistar as redes sociais”, avalia.

Atrações culturais

As atrações culturais ficaram por conta da Wes Ventura Power Band, que também fez a abertura da conferência, e da Preta Mar, que soltou o verbo com sua poesia slam

Apresentação das propostas e eleição para delegadas e delegados para a conferência nacional

O secretário de formação da Fetec, Pablo Sergio Dias, leu as propostas para os presentes, que foram aprovadas por 99% dos votantes, enquanto 1% se absteve. Elas serão levadas para a conferência nacional, nos dias 03 e 04 de setembro.

Em seguida, foram apresentados as delegadas e delegados que participarão desta conferência. A chapa, que reúne participantes da Fetec e de todos os seus dez sindicatos filiados (Curitiba, Apucarana, Arapoti, Campo Mourão, Cornélio Procópio, Guarapuava, Londrina, Paranavaí, Toledo e Umuarama), foi aprovada com 98% dos votos, contra 2% de abstenção.

As fotos dos participantes podem ser encontradas neste link

A 23.ª Conferência Estadual dos Bancários pode ser vista abaixo

Veja como cada deputado votou na MP 1045

Votaram contra os trabalhadores

  • Aline Sleutjes (PSL-PR)
  • Diego Garcia (Podemos-PR)
  • Felipe Francischini (PSL-PR)
  • Giacobo (PL-PR)
  • Leandre (PV-PR)
  • Luisa Canziani (PTB-PR)
  • Luiz Nishimori (PL-PR)
  • Luizão Goulart (Republicanos-PR)
  • Paulo Martins (PSC-PR)
  • Pedro Lupion (DEM-PR)
  • Ricardo Barros (PP-PR)
  • Roman (Patriota-PR)
  • Rossoni (PSDB-PR)
  • Rubens Bueno (Cidadania-PR)
  • Sargento Fahur (PSD-PR)
  • Sergio Souza (MDB-PR)
  • Stephanes Junior (PSD-PR)
  • Toninho Wandscheer (PROS-PR)
  • Vermelho (PSD-PR)

Votaram a favor dos trabalhadores

  • Christiane Yared (PL-PR)
  • Enio Verri (PT-PR)
  • Gleisi Hoffmann (PT-PR)
  • Gustavo Fruet (PDT-PR)
  • Hermes Parcianello (MDB-PR)
  • Luciano Ducci (PSB-PR)
  • Zeca Dirceu (PT-PR)

Deputados que não participaram da votação

  • Aliel Machado (PSB-PR) 
  • Aroldo Martins (Republicanos-PR) 
  • Boca Aberta (PROS-PR) 
  • Filipe Barros (PSL-PR)

Total: 19 votos “sim”, sete votos “não” e quatro deputados ausentes.

Texto: Flávio Augusto Laginski

Fonte: Fetec

Close