[email protected] | (41) 3322-9885 | (41) 3324-5636

Por 10:07 Recentes, Regional Vida Bancária

Sindicatos protestam contra transferência de bancária PCD do Itaú

Respeito, esperança, humanidade e amor entre as pessoas são expressões utilizadas pelo Itaú para mostrar ao público, em suas milionárias publicidades veiculadas na grande mídia, que não condizem com a sua política de pessoal. Um exemplo disso é o caso de uma bancária PCD (Pessoa com Deficiência) que atua como Agente de Negócios Caixa na agência de Uraí e que foi, compulsoriamente, transferida para Cornélio Procópio.

Para denunciar esse desrespeito e a conduta desumana do banco, os Sindicatos de Londrina e de Cornélio Procópio realizaram protesto nesta quarta-feira (22/02) em frente à agência de Uraí.

Segundo a secretária de Saúde do Sindicato de Londrina, Eunice Miyamoto, com essa mudança no local de trabalho esta bancária é obrigada a se deslocar de ônibus até Cornélio mesmo tendo recomendações médicas para não fazer isso devido suas dificuldades de locomoção.

“Nós tentamos negociar com o banco a permanência dela em Uraí, argumentando que sua condição física não permite enfrentar tantas dificuldades diariamente para ir trabalhar em outra cidade, mas não tivemos sucesso”, explica Eunice.

Alegação do banco é de que a transferência ocorreu porque a bancária tem um parente na mesma agência e isso fere as regras do Comitê de Integridade e Ética do Itaú.

“Infelizmente, o Itaú continua agindo de forma desumana com seus funcionários e funcionárias, exigindo metas cada vez mais difíceis de serem atingidas. E quando se fala em PCDs as exigências são ainda maiores, demonstrando que o banco não concorda com políticas de inclusão e continua mesmo preocupado em elevar ainda mais seus lucros bilionários”, aponta.

Texto: Armando Duarte Jr.

Fonte: Vida Bancária

Close