[email protected] | (41) 3322-9885 | (41) 3324-5636

Por 13:35 Agenda Sindical, Destaque

Sexto Congresso da Contraf ficou marcado pelo debate e defesa do trabalhador

O 6.º Congresso da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) chegou ao fim. Em três dias bem movimentados, que contaram com presenças ilustres, como a do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da presidenta nacional do Partido dos Trabalhadores (PT) Gleisi Hoffmann, as delegadas e os delegados representantes de sindicatos e federações filiados, entre elas a Federação dos Trabalhadores em Empresas de Crédito do Paraná (Fetec-CUT-PR), debateram muito o futuro do sindicalismo e também o do Brasil.

Ficou claro para todos que será preciso muita luta e muita unidade para poder reverter o quadro de necropolítica adotado pelo atual governante do Brasil. A presidenta da Contraf, Juvandia Moreira, fez um resumo do que foi debatido no congresso. “Nestes três dias de congresso, debatemos temas importantes, que podem nos ajudar a reconstruir o Brasil que a gente quer. Nosso plano de lutas para a próxima gestão reflete estes debates, que nos levam a reafirmar o tema deste nosso congresso”. Moreira chamou a atenção também que o pós-golpe foi extremamente catastrófico para o País. “Depois do golpe que tirou a presidenta Dilma da Presidência, a fome voltou a ser uma realidade em nosso país e houve uma verdadeira destruição do sistema de garantia de direitos dos trabalhadores. Nossas ações precisam nos levar a reconstruir o Brasil que a gente quer, sem fome, com direitos, soberano, democrático e com equidade. Precisamos ajudar o país a retomar o rumo do desenvolvimento econômico e social, com distribuição de renda e respeito à classe trabalhadora e ao povo brasileiro de uma forma geral”.

Brigadas anti fake news

Como forma de combater aquelas que deverão ser o principal obstáculo para uma eleição limpa, as chamadas “fake News”, o congresso aprovou a criação de comitês de organização e luta de bancários em todo o Brasil. A ideia é criar brigadistas que ajudem a difundir as informações e propostas de interesses dos trabalhadores, como, por exemplo, a defesa dos bancos públicos e a defesa do sistema financeiro com funções de desenvolvimento econômico e social do país, e de combater as mentiras propagadas pela extrema direita.

“Para colocar este plano de lutas teremos que manter a unidade das correntes políticas que compõem nossa confederação e, mais do que isso, fortalecer toda a organização sindical do nosso ramo e também das demais categorias. A classe trabalhadora precisa estar unida para conseguir eleger representantes para todas as esferas de poder nacional, estaduais e municipais que tenham compromisso com a classe trabalhadora”, ressaltou a presidenta da Contraf-CUT.

Campanha Nacional

Juvandia lembrou que neste ano serão realizadas mesas de negociações para a renovação das Convenções Coletivas de Trabalho (CCTs), tanto dos bancários quanto dos financiários. As CCTs em vigência perdem a validade neste ano, pois nas últimas negociações, ocorridas em 2020, elas foram aprovadas com validade de dois anos. “Mais uma vez teremos duras batalhas nas negociações com a Fenaban (Federação Nacional dos Bancos) e com a Fenacrefi (Federação Interestadual das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento), mais uma vez teremos que lutar pela manutenção dos nossos direitos e para avançar em novas conquistas, principalmente com relação ao aumento real e uma boa PLR (Participação nos Lucros e Resultados). Contamos com a contribuição de cada bancária e cada bancário nesta mobilização e luta para pressionar os bancos e as financeiras a atender nossas reivindicações”, afirmou.

Moções

A plenária do 6º Congresso da Contraf-CUT também aprovou três moções: Uma em defesa dos bancos públicos, uma em defesa da Petrobras e uma pela paz mundial.

Eleições da Contraf

O último dia do congresso teve ainda a eleição da nova chapa da Contraf. A presidenta Juvandia Moreira foi reconduzida novamente ao cargo e ficará mais quatro anos à frente da confederação.

O Paraná contará com representantes na direção, na suplência e no conselho. São eles: Elias Jordão (Secretaria de Políticas Sociais), Nivalda Sguissardi Roy (suplência da diretoria executiva) e Cristiane Paula Zacarias (Conselho Diretivo).

Despedida

O evento reservou também muita emoção. Beto von der Osten, um dos fundadores da Fetec-CUT-PR, se despediu da vida sindical. Ele foi homenageado pelos presentes. Certamente, está na história da luta sindical deste País.

Texto: Flávio Augusto Laginski com Contraf-CUT

Fonte: Fetec

Close