[email protected] | (41) 3322-9885 | (41) 3324-5636

Por 11:46 Notícias, Recentes

65% dos beneficiários do Auxílio Brasil reprovam governo Bolsonaro

Aposta eleitoral de Jair Bolsonaro (PL) para tentar reverter a vantagem do ex-presidente Lula (PT), que lidera a corrida eleitoral com 43% das intenções de voto no 1º turno, o aumento de R$ 400 para R$ 600 no valor do Auxílio Brasil, apenas até dezembro, não alterou a avaliação ruim que os eleitores de baixa renda têm sobre o governo federal.

De acordo com a nova rodada da pesquisa PoderData, 65% dos brasileiros que receberam alguma parcela do Auxílio Brasil no último mês desaprovam o governo. Entre os que são beneficiários do programa, 32% aprovam a gestão Bolsonaro. Já entre aqueles que dizem não ter recebido alguma parcela do benefício no mês anterior da pesquisa, a taxa de aprovação é de 39%, enquanto a de reprovação é 58%.

Têm direito ao Auxílio Brasil famílias em situação de extrema pobreza; famílias em situação de pobreza; e famílias em regra de emancipação.

As famílias em situação de extrema pobreza são aquelas que possuem renda familiar mensal per capita de até R$ 105,00 (cento e cinco reais), e as em situação de pobreza com renda familiar mensal per capita entre R$ 105,01 e R$ 210,00 (cento e cinco reais e um centavo e duzentos e dez reais).

Entre os eleitores com renda renda familiar de até 2 salários, muitos deles  beneficiários do programa, 48% declararam que pretendem votar em Lula no dia 2 de outubro.

A pesquisa foi realizada de 31 de julho a 2 de agosto, portanto, depois da aprovação da Proposta de Emenda à Constituição que driblou a lei eleitoral e autorizou o aumento no benefício.

Considerando toda a população, independentemente da faixa de renda, a desaprovação ao governo Bolsonaro é de 57% e a aprovação é de 39%.

Segundo o PoderData, esta rodada da pesquisa é a última antes do início do pagamento de R$ 600 do Auxílio Brasil. O novo valor será pago em 5 parcelas até dezembro. A 1ª parte será liberada de 9 a 22 de agosto. Dessa forma, ainda não é possível prever o impacto do aumento na imagem do governo.

Metodologia da pesquisa

A pesquisa foi realizada pelo PoderData, empresa do grupo Poder360 Jornalismo, com recursos próprios, e divulgada em parceria editorial com a TV Cultura.

Os dados foram coletados de 31 de julho a 2 de agosto de 2022, por meio de ligações para celulares e telefones fixos.

Foram 3.500 entrevistas em 322 municípios nas 27 unidades da Federação.

A margem de erro é de 2 pontos percentuais. O intervalo de confiança é de 95%. O registro no TSE é BR-08398/2022.

Close