[email protected] | (41) 3322-9885 | (41) 3324-5636

Por 11:29 Banco do Brasil, Recentes, Regional Curitiba

Funcionários paralisam CRBB de São José dos Pinhais em Dia Nacional de Luta

Na quarta-feira, 10 de agosto, as diversas Centrais de Relacionamento do Banco do Brasil (CRBB) no país realizaram um ato conjunto. Dirigentes do Sindicato de Curitiba e região estiveram na CRBB de São José dos Pinhais conversando com os bancários e bancárias sobre as pautas específicas da CRBB, aproveitando para debater e divulgar informações sobre o andamento das negociações sobre da Campanha Nacional dos Bancários 2022.

Durante o ato, os funcionários deslogaram do atendimento, das 13h às 14h, e se juntaram à mobilização organizada pelo Sindicato, mostrando o seu descontentamento com a falta de retorno da direção do banco após duas reuniões específicas sobre os temas da CRBB.

Problemas na Central de Atendimento

Os funcionários reivindicam contratação de mais funcionários para a CRBB, já que somente em São José dos Pinhais são mais de 100 vagas em aberto. “Temos pouco mais de 600 concursados para serem chamados do último concurso e o banco vinha se comprometendo a convocar para o segundo semestre, após a chamada para recompor o quadro das agências. Esperamos que tragam esses novos funcionários, pois sabemos a diferença que isso faz para a CRBB, para o atendimento e para os clientes”, afirma Alessandro Garcia, o Vovô, dirigente do Sindicato.

Outra demanda é a valorização dos atendentes que realizam o mesmo trabalho de um assistente, pois estão recebendo salário menor e com pouca atratividade para os escriturários de agências, departamentos e de outras regiões migrarem para a CRBB, como sempre ocorreu nos anos anteriores à reestruturação. Devido ao rebaixamento do salário após o programa Performa, houve um grande prejuízo também pra quem permaneceu nos seus cargos, pois com a criação da verba temporária complementar, o bancário(a) deixou de receber o aumento real no salário quando faz a pontuação para o mérito ou para a antiguidade. Em alguns casos, o funcionário levará de 6 a 8 anos para poder zerar essa verba fantasma e ter aumento real.

Vários atendentes da CRBB estão sem ascensão profissional, impedidos de sair por promoção, tendo alguns solicitado descomissionamento pra poderem sair da CRBB. O banco alega ter impedimento pelo número de vagas em aberto, mas o Sindicato denuncia que não é lateralidade e sim promoção, nunca antes impedida e que vai contra os próprios incentivos de carreira citados pelo BB.

Os funcionários também denunciam diversos problemas criados com o atendimento simultâneo de chat virtual e telefônico, parâmetro para ser mensurada a meta, que ficou cada vez mais difícil de ser atingida. O BB suspendeu o chat e os funcionários da CRBB reivindicam a volta do atendimento receptivo, que pode não só aliviar o atendimento nas agências como gerar negócios para o banco, que tanto versou, até pouco tempo atrás, sobre o momento do atendimento ao cliente.

A CRBB necessita de regras mais claras e fim das mudanças unilaterais, muitas vezes impostas de um mês para o outro, gerando insegurança e insatisfação ao funcionalismo.

Esses são somente alguns dos problemas citados e que até o momento o BB não deu retorno satisfatório aos funcionários da CRBB ou alguma proposta de mudança. É chegado o momento de luta e de mostrar que podemos nos mobilizar para avançar também nos temas específicos durante as negociações da campanha salarial”, afirma Vovô.

Na avaliação dos Sindicatos, mais de 90% dos atendentes das Centrais de São José dos Pinhais/PR, Recife/PE, São José/SC e Riberão Preto/SP paralisaram suas atividades por uma hora, entre às 13h00 e 14h00 horas. Em outras centrais houve conversa para mobilização dos funcionários.

Campanha Nacional dos Bancários

Durante o ato, o Sindicato também informou os trabalhadores da CRBB sobre o andamento das negociações da Campanha Nacional dos Bancários, tanto com a Fenaban, para definir os termos de renovação da Convenção Coletiva de Trabalho, quanto das negociações específicas com o Banco do Brasil para o Acordo Coletivo, que também estão avançando no calendário. A data-base da categoria bancária é 01 de setembro e oito rodadas temáticas de negociações já foram realizadas com a Fenaban, sobre emprego e terceirização, igualdade de oportunidades, com foco no combate ao assédio sexual, cláusulas sociais, teletrabalho, segurança bancária, saúde e condições de trabalho e cláusulas econômicas. Nesta quinta, 11 de agosto, ocorre mais uma rodada de negociação, em que os trabalhadores aguardam que a Fenaban apresente sua proposta em resposta às reivindicações.

Com o Banco do Brasil, já foram realizadas cinco rodadas de negociações para o acordo específico e novas reuniões estão agendadas até dia 17 de agosto. A representante do Paraná nas negociações com o Banco do Brasil, Ana Smolka, convida todas e todos a acompanharem os debates no site e redes sociais do Sindicato:

Foto: Joka Madruga

Fonte: Sindicato dos Bancários e Financiários de Curitiba e região

Close