Não bastassem as mudanças nas regras do programa AGIR, sem qualquer negociação prévia com o movimento sindical, os funcionários e funcionários do Itaú na base do Sindicato de Londrina estão vivendo momentos de terror com a cobertura das férias do GSO (Gerente de Suporte Operacional) pelo GRA (Gerente Geral da Área Comercial).

Segundo o Sindicato apurou, as cobranças feitas pelo gestor começam nas primeiras horas da manhã com mensagens enviadas pelo WhatsApp, em total desrespeito à CCT (Convenção Coletiva de Trabalho), a qual impede esse tipo de conduta dos gestores.

Querendo mostrar serviço, o GRA está fazendo pressões abusivas pelo cumprimento de metas, configurando a prática de assédio moral, o que também é vedado e pode levar o Sindicato a abrir procedimento com base no Acordo Aditivo à CCT, que estabelece princípios para prevenir conflitos no ambiente do trabalho.

O Sindicato de Londrina está apurando as denúncias e se forem constatadas irregularidades na conduta do GRA serão cobradas providências do Itaú com base no parágrafo terceiro do Acordo de Combate ao Assédio Moral assinado pelo banco.

Texto: Armando Duarte Jr.

Fonte: Vida Bancária

Escreva um comentário

Rua XV de novembro, 270, sala 510, Centro, Curitiba-PR, CEP 80020-310, Fone (41)-33229885, Fax (41)-33245636, fetec@fetecpr.org.br