Trabalhadores bancários na CAIXA em todo o Estado do Paraná caminham para 100 porcento de adesão à greve nacional nesta segunda-feira, 08 de outubro

É hora de aumentar a pressão !

O conjunto de trabalhadores na CAIXA em todo o Estado do Paraná está mostrando à direção da empresa que esta precisa tomar outro rumo. Ao todo são cerca de 5100 trabalhadores, a metade na capital paranaense e os demais pelo interior do estado.

Dia-a-dia, no cumprimento do seu papel social, levando a bancarização e os serviços ligados aos programas sociais, quem trabalha na CAIXA sabe o quanto é importante a instituição voltar a funcionar normalmente para que todo o povo paranaense utilize os seus serviços. No entanto, esta sensibilidade falta à direção da empresa encastelada em Brasília.

Distribuídos em 137 agências bancárias e mais de 50 postos de atendimentos bancários, além dos diversos centros de administração estado afora, nesta segunda-feira, 08 de outubro, mais uma vez, estarão manifestando a indignação frente à falta de um trato adequado relacionado à criação de um novo Plano de Cargos e Salários, e de regras que acabem com a perversidade da inexistência de isonomia de tratamento profissional, distinguindo os trabalhadores em duas classes, a saber, os pré e os pós ano de 1998.

O movimento tem se mostrado forte e coeso, principalmente depois da provocação pela ameaça retrógrada de pedido de instauração de dissídio coletivo junto ao Tribunal Superior do Trabalho.

Nacionalmente, as projeções mostram que de quarta-feira, 03 de outubro, início da greve, para sexta-feira, o grau de adesão passou de 70 para 80 porcento dos trabalhadores em todo o país.

No Paraná, os trabalhadores estão sediados e representados por dois núcleos sindicais, os sindicatos filiados à Central Única dos Trabalhadores e os demais, sendo que os primeiros contemplam mais de 70 porcento do conjunto de trabalhadores lotados no Estado do Paraná.

A adesão vem num crescendo, e nesta segunda-feira a expectativa é que alguns núcleos interioranos que ainda não haviam aderido com greve, que o façam iniciando a paralisação como a maioria em todo o Paraná, a exemplo do restante do país.

Solidariedade entre todos os trabalhadores bancários do Brasil

Os trabalhadores no Banco do Brasil e nos bancos privados que atuam no país são solidários à luta dos trabalhadores na CAIXA. Depois de conseguirem um bom avanço nas negociações com a Fenaban (Federação Nacional dos Bancos), a categoria está mobilizada para arrancar, também na CAIXA, uma boa negociação nas cláusulas específicas.

Decisões de assembléias precisam ser respeitadas

Tomando como exemplo, a decisão tomada em assembléia pelos trabalhadores bancários na CAIXA da base sindical de Curitiba e Região, reunidos na última sexta-feira, 05 de outubro, agora já com os pagamentos de todos os aposentados e pensionistas realizados, a segunda-feira trará um novo procedimento, que é o encerramento das atividades de auto-atendimento. Desta forma, restam os atendimentos em casas lotéricas e estabelecimentos comerciais conveniados.

À espera de negociação

O Comando Nacional dos Trabalhadores no Ramo Financeiro se reúne nesta segunda-feira, em São Paulo, com vistas a buscar estratégias de sensibilização junto ao Governo Federal para que as negociações sejam reabertas, e enfim, haja uma efetiva evolução da proposta da CAIXA.

A LUTA É PARA CONQUISTAR MAIS, CONQUISTAR A IGUALDADE ENTRE TODOS OS TRABALHADORES NA CAIXA.

Escreva um comentário

Rua XV de novembro, 270, sala 510, Centro, Curitiba-PR, CEP 80020-310, Fone (41)-33229885, Fax (41)-33245636, fetec@fetecpr.org.br