São Paulo – Com mais de 80% dos votos, o novo estatuto da Cassi foi aprovado nesta terça-feira, dia 21, depois de dez dias de votação. Ao todo, 81,7 mil associados disseram sim às mudanças negociadas entre os representantes dos funcionários e o Banco do Brasil, número que corresponde a 80,15% dos votos. Disseram não 16.183 (15,88%), enquanto 1.868 votaram em branco (1,83%) e 2.189 anularam (2,15%).

“Mais uma vez, a imensa maioria mostrou que concorda com os termos negociados e que a proposta soluciona os problemas financeiros da entidade. Nas outras três vezes em que a consulta não atingiu o quorum, a grande maioria já havia dito sim, o que mostra a sintonia entre a Contraf-CUT e a comissão negociação e os trabalhadores”, afirma Marcel Barros, coordenador da Comissão de Empresa dos Funcionários do BB.

Na avaliação do conselheiro deliberativo eleito da Cassi, Roosevelt Rui dos Santos, foi uma grande conquista, uma vitória do voto consciente, que coloca a Cassi acima dos interesses políticos daqueles que fizeram a campanha pelo não. “A oposição criou uma bandeira política, misturando os interesses dos associados com seus interesses mesquinhos. Agora precisamos de humildade e pé no chão, porque esse foi simplesmente o início de um processo longo de reestruturação da Cassi para que ela se torne efetivamente uma entidade segura, perene e que possa continuar a oferecer aos seus associados todos os benefícios que até hoje oferecemos. Num médio prazo, queremos incorporar o plano odontológico como mais um benefício. O compromisso é com o daqui pra frente e este é o caminho mais difícil, porém o mais seguro para todos nós”, destaca Roosevelt.

Veja o resultado das votações:

Total de votos: 101.940
Sim – 81.700 (80,15%)
Não – 16.183 (15,88%)
Brancos – 1.868 (1,83%)
Nulos – 2.189 (2,15%)

Ativos: 70.894 votos
Sim – 52.634 (74,24%)
Não – 14.357 (20,25%)
Brancos – 1.792 (2,53%)
Nulos – 2.111 (2,98%)

Aposentados: 31.046 votos
Sim – 29.066 (93,62%)
Não -1.826 (5,88%)
Brancos – 76 (0,24%)
Nulos – 78 (0,25%)

As mudanças no Estatuto

Aporte financeiro do BB
R$ 300 milhões, sendo R$ 150 mi agora e mais 3 parcelas corrigidas

Co-participação em exames (exceto de internação)
10%, com teto de 1/24 do salário, com incidência única e exceções para transfusão de sangue, diálise, hemodiálise, quimioterapia, radioterapia, pessoas com deficiência, com doenças do trabalho e em casos de cirurgias e tratamentos feitos em ambulatório. Cobranças a partir de 1º de janeiro de 2008

Contribuições sobre o 13º salário
Contribuição sobre o valor integral.

Funcionários pós-98
Legalização da situação, com os funcionários contribuindo em 3% e o banco em 4,5%. BB assume o pagamento retroativo à 1º de janeiro de 2007

Dependentes indiretos
Custeio do déficit anual até a extinção do grupo.

Eleições
A cada dois anos, como é hoje

Plano odontológico
Inclusão do plano condicionado a equilíbrio do plano de associados

Voto “qualificado” (Minerva)
As decisões ocorrem por maioria absoluta

NOTÍCIA COLHIDA NO SÍTIO: www.contrafcut.org.br

Escreva um comentário

Rua XV de novembro, 270, sala 510, Centro, Curitiba-PR, CEP 80020-310, Fone (41)-33229885, Fax (41)-33245636, fetec@fetecpr.org.br