Rua XV de novembro, 270, sala 510, Centro, Curitiba-PR, CEP 80020-310, Fone (41)-33229885, Fax (41)-33245636, fetec@fetecpr.org.br
 
 
publicado em 17 de março de 2017 às 14:43:
PL das terceirizações muda a relação social do trabalho

Deonisio Schmidt

Dois projetos, que liberam as terceirizações, tramitam no congresso nacional com o objetivo de reduzir o custo da mão de obra, sinônimo de retirada de direitos dos trabalhadores e precarização nas relações de trabalho. O discurso mentiroso do capital diz que as terceirizações vão gerar empregos e equalizar os trabalhadores terceirizados aos efetivos. Se isso fosse real, era só proibir as terceirizações e ficava tudo certo, não é verdade?

Os Projetos de Lei que liberam as empresas para terceirizar todas as suas áreas são o 030, que está no senado, e o 4302, que está na câmara. Hoje, só é permitido, por força de súmula e por força de muita luta, terceirizar somente os trabalhadores das áreas meios, aquelas que não correspondem ao objeto final da empresa.

É só olhar para quem é terceirizado e verificar em quais situações vivem, tanto socialmente quanto no trabalho, fruto da exploração extrema. A grande maioria não recebe o suficiente para bancar educação, moradia, saúde e alimentação de qualidade, o mínimo do mínimo para a sobrevivência. A relação social de produção, que troca mão de obra por comida, é conhecida por escravidão, e é isso o que eles querem que nos tornemos, escravos.

O governo usurpador de Michel Temer e seus aliados lançaram mais dois projetos que aniquilam a classe trabalhadora, quais sejam: as reformas da previdência e trabalhista. Este governo prova que é golpista, fruto do financiamento de quem queria ferrar os trabalhadores, e que agora paga a fatura com nossos direitos.

Precisamos defender as aposentadorias e os direitos, isso passa também, pela urgente tarefa de derrubar os dois projetos de terceirização. O PL 4302/98 vai para a pauta da câmara dos deputados nos próximos dias, e se aprovado, para sanção presidencial. A partir daí, o governo e quem o financiou, não precisam mais das reformas da previdência e trabalhista, pois por si só, o fim das aposentadorias e dos direitos trabalhistas, estão contemplados neste projeto.

Bora derrubar deste assalto.

Boa luta a todas e todos.Fetec e seus sindicatos protestam contra a reforma da previdência

DEONISIO SCHMIDT

Sec. Geral da Fetec-Cut/Pr.

 

deixe seu comentário

 
últimas notícias
7 de dezembro de 2017
  Professores da UFMG saem em defesa de reitores levados em operação da PF
6 de dezembro de 2017
  Lição de “mercado”. 1.200 professores demitidos e recontratados “mais barato”
6 de dezembro de 2017
  Sem apoio para a reforma da Previdência, Temer faz pressão sobre Jucá e Kassab
6 de dezembro de 2017
  Lula: “Todo o dinheiro que é para gastar na educação estão gastando com deputados”
4 de dezembro de 2017
  Tacla Apresentou Perícia para Provar Acusações
  © Copyright 2011. Todos os direitos reservados.
WebmaniaBR® - Ideias em códigos