[email protected] | (41) 3322-9885 | (41) 3324-5636

Por 09:25 Caixa, Destaque

Empregados reiteram pedido de antecipação da PLR à Caixa

A Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) enviou, na segunda-feira (21), ofício à Caixa reiterando o pedido de antecipação da Participação nos Lucros e Resultados (PLR) aos empregados. No dia 31 de janeiro, a Contraf/CUT solicitou o pagamento aos trabalhadores, mas ao contrário dos bancos privados, a Caixa não informou a data para creditar o valor.

“Os empregados da Caixa fizeram um esforço excepcional para pagar os benefícios sociais em um ano de pandemia, por isso, mereciam esse reconhecimento do banco”, avalia o presidente da Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa (Fenae), Sergio Takemoto.

“A Caixa vai divulgar o balanço do quarto trimestre de 2021 amanhã [24 de fevereiro], ou seja, os resultados já estão consolidados, e o ’banco da matemática’, como diz o presidente Pedro Guimarães, ainda não resolveu a PLR dos empregados”, criticou a coordenadora da Comissão Executiva de Empregados (CEE/Caixa), Fabiana Uehara Proscholdt.

O Bradesco realizou o pagamento da PLR no dia 11 de fevereiro; Itaú, Safra, e Santander informaram que o crédito será no dia 25 de fevereiro. Banco do Brasil vai pagar no dia 11 de março. Os bancos públicos têm até o dia 31 de março para fazer o pagamento, no entanto, muitas vezes atendem à solicitação da Contraf para antecipar o crédito.

Sobre a PLR:

A categoria bancária foi a primeira no Brasil a conquistar participação no lucro das empresas. Desde 1995, a CCT determina o pagamento da PLR pelos bancos.

A PLR é composta por regra básica e parcela adicional:

1- Regra Básica: corresponde a 90% do salário-base + verbas fixas de natureza salarial, reajustados em setembro de 2021, mais o valor fixo de R$ 2.807,03, limitada ao valor individual de R$ 15.058,34.

A regra básica tem como teto o percentual de 12,8% do lucro líquido do banco; e, como mínimo, o percentual de 5% do lucro líquido do banco. Ou seja, se o valor total da “Regra Básica” da PLR for inferior a 5% do lucro líquido do banco, em 2021, o valor individual deverá ser majorado até alcançar 2,2 salários do empregado e limitado ao valor de R$ 33.128,31, ou até que o valor total da “Regra Básica” da PLR atinja 5% do lucro líquido, o que ocorrer primeiro.

2- Parcela Adicional: corresponde à divisão linear de 2,2% do lucro líquido, pelo número total de empregados, em partes iguais, até o limite individual de R$ 5.614,06.

De acordo com a CCT, todas as instituições financeiras que apresentaram lucro estão obrigadas a pagar a PLR, com exceção das que tiveram prejuízo em 2021.

Fonte: Fenae, com informações da Contraf-CUT

Close