[email protected] | (41) 3322-9885 | (41) 3324-5636

Por 09:30 Sem categoria

Taxa de juro é a menor desde 1994, mas ganho dos bancos cresce

As taxas de juros bancários para pessoa física atingiram em julho o menor nível desde julho de 1994 (início da série histórica do Banco Central), de 62% ao ano. Isso representa uma queda 0,4 ponto percentual em relação ao mês anterior e de 15,9 pontos nos últimos 12 meses.

O resultado se deve ao aumento nos empréstimos com débito em folha de pagamento, que cresceram cerca de 3,5% em julho. Segundo o chefe do departamento econômico do BC, Altamir Lopes, o consumidor está migrando para modalidades mais baratas de empréstimos, em busca de taxas menores.

No caso do desconto em folha, as taxas são de 38% ao ano em média. Para o empréstimo pessoal, os bancos cobram em média 72%. Em relação ao cheque especial, apesar da taxa ser hoje a menor desde dezembro de 1999, ela ainda está em 140,1% ao ano.

Apesar da queda nos juros, houve um aumento de 0,2 ponto no spread bancário, para 27,2 pontos percentuais. O spread é a diferença entre o que os bancos pagam de juros aos poupadores e quanto eles cobram na hora de emprestar o dinheiro.

Segundo o BC, esse resultado pode ser explicado pela queda na taxa de captação dos bancos.

Fonte: EDUARDO CUCOLO
da Folha Online, em Brasília

Por 09:30 Notícias

Taxa de juro é a menor desde 1994, mas ganho dos bancos cresce

As taxas de juros bancários para pessoa física atingiram em julho o menor nível desde julho de 1994 (início da série histórica do Banco Central), de 62% ao ano. Isso representa uma queda 0,4 ponto percentual em relação ao mês anterior e de 15,9 pontos nos últimos 12 meses.
O resultado se deve ao aumento nos empréstimos com débito em folha de pagamento, que cresceram cerca de 3,5% em julho. Segundo o chefe do departamento econômico do BC, Altamir Lopes, o consumidor está migrando para modalidades mais baratas de empréstimos, em busca de taxas menores.
No caso do desconto em folha, as taxas são de 38% ao ano em média. Para o empréstimo pessoal, os bancos cobram em média 72%. Em relação ao cheque especial, apesar da taxa ser hoje a menor desde dezembro de 1999, ela ainda está em 140,1% ao ano.
Apesar da queda nos juros, houve um aumento de 0,2 ponto no spread bancário, para 27,2 pontos percentuais. O spread é a diferença entre o que os bancos pagam de juros aos poupadores e quanto eles cobram na hora de emprestar o dinheiro.
Segundo o BC, esse resultado pode ser explicado pela queda na taxa de captação dos bancos.
Fonte: EDUARDO CUCOLO
da Folha Online, em Brasília

Close