[email protected] | (41) 3322-9885 | (41) 3324-5636

Por 17:22 Agenda Sindical, Recentes

Dirigente da Fetec/PR participa do evento Mulheres do Sul com Lula

A secretária da mulher da Federação dos Trabalhadores em Empresas de Crédito do Paraná (Fetec-CUT-PR) Clarice Weisheimer participou no último domingo (26) do evento Mulheres do Sul com Lula. O objetivo desse encontro é construir um processo democrático de discussão participativa para elaborar propostas voltadas para as mulheres a serem incluídas no programa de governo de Lula em todo Brasil.

A medida é uma forma de trazer novamente as mulheres para participar de decisões importantes do Brasil, uma vez que o atual governo quis relega-las a cargos figurativos, sem voz ativa.

Para Clarice, o encontro, que ocorre em todas as regiões do Brasil, mostra que essa visão de que as mulheres não devem participar da política é algo arcaico e que não há mais espaço no mundo atual para esse pensamento atrasado e misógino. “Precisamos melhorar nossas políticas de atendimento às meninas e mulheres. Não podemos continuar fingindo que está tudo bem, porque não está! As mulheres estão morrendo em condições de cárcere privado em seus próprios lares. Segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), só no ano de 2021, o Estado Paraná teve um aumento de 100% de violência sexual contra a mulher, em uma clara mostra, da falha do Sistema de Segurança Pública. Conseguinte a isso, também temos assistido meninas e mulheres vítimas de violências, tendo seus direitos legítimos negados pelo Sistema Judiciário”, explica.

A dirigente sindical diz também que o governo atual é culpado por não cuidar das mulheres. “Em um momento em que o país chega ao índice absurdo de mais da metade da sua população em situação de fome e miséria, são as mães solo quem mais sofrem e isso ocorre porque o Estado também não cumpre a sua Constituição, quando não supre a necessidade de uma rede de atendimento às nossas crianças, pra que essas mães possam trabalhar em condições humanas. O atual Governo tem se mostrado inábil e negligente com aquelas que, muitas vezes, abdicam de si e dedicam sua vida aos cuidados de crianças, doentes e idosos. Nós Mulheres somos a maioria da Sociedade Brasileira e exigimos respeito! Somos Muitas! Somos Fortes! E continuaremos lutando contra toda forma de opressão, na busca de ações governamentais que nos proporcionem todos os direitos necessários à uma vida digna!”, encerra.

O debate levantou os seguintes eixos que viraram o documento a ser entregue ao Lula:

  1. Viver sem violência: um direito de todas as mulheres,
  2. Trabalho-igualdade e autonomia econômica,
  3. Saúde integral de todas as mulheres, garantindo os direitos sexuais e os direitos reprodutivos,
  4. Política Integrada de Cuidados,
  5. Educação não-sexista e Cultura para a Igualdade,
  6. Desenvolvimento Sustentável – promover a democratização e a igualdade nos territórios.

Texto: Flávio Augusto Laginski

Fonte: Fetec

Close